Livro conta a história da família Becker em Rio Negro, Mafra e Itaiópolis

Por Redação Click Riomafra - 28/04/2017
  • A publicação já se encontra disponível para venda no site Clube de Autores.

O escritor são-bentense Henrique Fendrich está lançando o livro “A família de Nicolau Becker – Rio Negro, Mafra e Itaiópolis”, que conta a história de uma das primeiras famílias da região de Trier que se estabeleceram na região, em 1829.

Apesar de focar em uma das famílias, o livro de Fendrich contém novidades sobre todos os pioneiros de Rio Negro e Mafra, pois o autor teve acesso à documentação ainda inédita, como listas nominativas e registros de terra da época. A própria trajetória da famosa embarcação Charlotte & Louise passa por uma revisão.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Fendrich defende que a embarcação fez apenas uma viagem ao Brasil, e não duas. “Muitos dos imigrantes da segunda leva de Rio Negro vieram com a primeira viagem do Charlotte em 1828, apenas ficaram mais tempo esperando em Santos do que os demais”, explica. O autor também conseguiu identificar, com base em jornais do Rio de Janeiro, a data exata de chegada do barco ao Brasil: “Tradicionalmente se fala em 2 de outubro, mas foi no dia 23 de agosto de 1828”.

Rio Negro teve duas famílias Becker entre os pioneiros: a de Nicolau Becker e a de João Adão Becker. De acordo com as pesquisas de Fendrich, elas não tinham nenhum parentesco entre si. “Elas vinham de aldeias próximas na região de Trier, mas a família de João Adão Becker era bem abastada, enquanto a de Nicolau Becker era uma das mais pobres da colônia”, justifica. As listas nominativas eram os “censos” da época, e por meio deles Fendrich conseguiu descobrir dados como os rendimentos, as plantações e a criação de animais dos imigrantes da cidade. Há inclusive uma lista com todos os moradores alemães e brasileiros de Rio Negro em 1835.

O escritor também descobriu que a maior parte dos imigrantes destinados a Rio Negro se estabeleceu no lado catarinense do rio, em Mafra. Ele incluiu também uma lista com todos os primitivos moradores das localidades de Portão, Curralinho e Cedro, em Mafra, entre os quais se inclui os descendentes de Nicolau Becker. “Dá até para dizer que a primeira colonização alemã de Santa Catarina ocorreu em Mafra”, sugere.

O livro foi escrito a partir de uma parceria com Fábio Becker, descendente da família. Através de uma exaustiva pesquisa em registros de cartório e igreja da região, conseguiu-se levantar o nome de 1.340 descendentes de Nicolau Becker, que aparecem na árvore genealógica do livro.

  • A publicação já se encontra disponível para venda no site Clube de Autores.

Livro A família de Nicolau Becker – Rio Negro, Mafra e Itaiópolis

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.