Dicas para o uso das ervas aromáticas

Por GB Edições - 21/06/2016

As ervas aromáticas fazem muita diferença quando se prepara uma receita. Na prateleira dos temperos nos supermercados, a gente encontra uma infinidade de ervas, disponíveis em saquinhos, ou em embalagens bem atrativas, que nos convidam a consumi-las. Algumas delas são nossas velhas conhecidas, outras nem tanto. Veja como você pode usa-las para incrementar a suas receitas:

Alecrim: erva originária da região do Mediterrâneo. Suas folhas têm um forte aroma com traços de pinho e também cânfora. Realça o sabor de carnes grelhadas e assadas; aves e carne de porco; peixe, ovos, legumes e sopas.

Camomila: uma das ervas mais populares do mundo. No passado, os egípcios utilizavam a camomila na medicina e os espanhóis perfumavam seus vinhos. Ela é perfeita para bebidas quentes de inverno; refresco gelado de verão.

Cebolinha Verde Desidratada: sua origem é a China, mas já no século XVI era facilmente encontrada nos jardins de ervas da Inglaterra. Na culinária é usada para carnes e molhos; pratos de frango e peixe; dá um toque final aos patês e sopas.

Cheiro Verde: combinação de salsa e cebolinha, muito usada na culinária brasileira. Pode ser usado em vários pratos para saborizar e enfeitar. Deve ser acrescentado ao final do preparo de refogados e molhos; sopas e caldos; carnes, peixes e aves.

Ervas Finas: combinação de alecrim, tomilho, manjericão, manjerona, salda desidratada, sálvia, estragão e orégano, conhecida também como Ervas de Provença, deve ser acrescentado no final do preparo de aves e molhos brancos; carnes vermelhas; saladas verdes e massas prontas; omeletes.

Estragão Desidratado: de procedência do Oriente Médio, chegou à Europa somente no século XVI por meio dos mouros espanhóis. Especial para aromatizar vinagre de vinho branco; temperar peixes e frutos do mar; cozinhar aves e carnes.

Louro em Pó: originária da Ásia Menor; é especial para feijão, sopas e cremes; frutos do mar e guisados; cozimentos de legumes e verduras.

Manjericão: originária da Índia. Combina com vários pratos à base de tomates e queijos; massas e carnes; base de molho pesto (para macarrão).

Manjerona: vem sendo cultivada há muitos séculos no Oriente. Deve ser acrescentado ao final do preparo de sopas de tomate e pizza; carnes vermelhas; patês e molhos.

Sálvia: originária do Mediterrâneo. Foi chamada pelos romanos de erva sagrada. Deve ser usada com moderação em carnes de porco, carneiro e cabrito; molhos, churrasco e aves.

Sugarelha: originária da região mediterrânea. Erva que combina bem com outras ervas ou pode ser usada sozinha em recheios para carne, peixe e aves; molhos e sopas; feijão e vegetais verdes.

Tomilho: natural das regiões quentes da Ásia, ele é perfeito para molhos de tomate; perfumar pratos a base de peixe e frutos do mar; sopas do dia-a-dia.

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.