O tremular de uma estranha bandeira em Riomafra

Por Fábio Reimão de Mello - 22/11/2012

A imagem amarelada pelo tempo pode parecer ser apenas mais uma foto antiga, o que não deixa de ser verdade, mas apenas parcialmente, porque algo bem curioso pode ser observado se seguirmos a arquibancada que está ao fundo, até seu canto superior esquerdo, onde tremula uma bandeira do partido Nazista (com a cruz suástica). Curioso, porque essa fotografia, que pode parecer retratar uma cena qualquer da Alemanha entre os anos 30 e 40, na verdade foi tirada aqui em Riomafra em 29 de novembro de 1936.

A bela arquibancada não resistiu ao tempo (76 anos) que separa os anos de 1936 e 2012, porém o local é bem conhecido da população Riomafrense hoje em dia, trata-se do campo de futebol (Estádio Marechal Osório) do 5º Regimento de Carros de Combate na Vila Paraíso em Rio Negro.

Mas o que é mais intrigante é o porquê a bandeira Nazista, hoje símbolo de alguns dos mais lamentáveis episódios da história da humanidade como o holocausto e a 2ª Guerra Mundial, estaria asteada em Riomafra?

A resposta é simples, mas precisa de uma compreensão bem contextualizada á época:

Após a 1ª Guerra Mundial (1914-1918) a Alemanha derrotada e humilhada pelas imposições do Tratado de Versalhes, mergulhou em uma profunda crise financeira em um completo abalo ao orgulho do povo alemão. Foi em meio a esse contexto que o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães – NDSAP, ou simplesmente Partido Nazista, liderado por Adolf Hitler, foi ganhando espaço no cenário nacional, apresentando-se como solução aos problemas daquela nação.

Não somente o real desenvolvimento econômico, como também o amplo trabalho de comunicação realizado e controlado pelo governo alemão, sob o comando do Führer a partir de 1933, revestiram o Nazismo com uma imagem que extrapolava a simples condição de partido ou ideologia política, sendo concebido como símbolo de progresso, do sucesso de um país e de todo o seu povo, estivesse ele na própria Alemanha ou fora dela.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Enquanto a propaganda nazista fazia com que alemães vissem com bons olhos os novos rumos dados à política alemã, a prática governamental da “ditadura hitlerista” também seduzia outras nações, que buscando controle político/social semelhante, procuraram implantar em seus territórios, medidas que incentivavam o nacionalismo exacerbado e o culto a personalidade do chefe da nação, como o realizado pelo Presidente de Getúlio Vargas durante seu extenso governo de 1930 a 1945.

Assim, em um país com o governo inspirado em práticas do fascismo alemão, com amplas relações com a Alemanha e que também desfrutava de uma versão brasileira do partido Nacional Socialista, a “Ação Integralista Brasileira” (com muitos partidários aqui em nossas cidades – é interessante lembrar), é fácil entender como em duas cidades de colonização germânica, os descendentes dos imigrantes fossem simpatizantes do nazismo, “na simples forma de orgulho por um símbolo que representava o sucesso alemão da época”, o que explica a presença da bandeira esteada na arquibancada.

Vale ressaltar que a fotografia é de 1936, portanto anterior a 2ª Guerra Mundial e à própria declaração de guerra do Brasil à Alemanha, quando então manifestações em favor do nazismo passaram a ser proibidas e coibidas, sendo a partir daí, formada a imagem que se tem hoje do Nazismo alemão. Por isso, a simpatia de alguns de nossos Antepassados, pouco ou nada tem em relação às condenáveis práticas nazistas do período que se possui conhecimento hoje em dia.

COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.