Alerta aos produtores sobre as sementes recebidas da China

Por Assessoria - 15/09/2020

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), José Zeferino Pedrozo, encaminhou ofício aos Sindicatos Rurais de todo o Estado para alertar os produtores sobre o eventual recebimento de pacotes de sementes provenientes da China. O relato da entrega do material via Correios em algumas propriedades foi feito por agricultores catarinenses nesta semana, gerando preocupação dos órgãos responsáveis.

A orientação da FAESC é para que os produtores, ao receberem o material não solicitado, o levem até o escritório mais próximo da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) ou do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para que seja recolhido. A Federação pede para que as sementes não sejam plantadas ou descartadas nas propriedades.

“Diante do fato de não sabermos a procedência dessas sementes, que podem estar contaminadas e causarem a disseminação de pragas e doenças, além de sérios prejuízos econômicos e sanitários, solicitamos que os produtores rurais que tenham recebido algum pacote suspeito, não semeie e não jogue o material no lixo. É importante que o leve com a máxima brevidade a um escritório da Cidasc ou escritório mais próximo do MAPA para recolhimento e análise”, enfatiza Pedrozo.

Os produtores também podem entrar em contato com o Departamento Estadual de Defesa Sanitária Vegetal de Santa Catarina, pelos telefones 0800-644-6510 ou (48) 3665 7300 (WhatsApp) e solicitar mais orientações.

De acordo com a Cidasc, as sementes suspeitas e não solicitadas estão sendo endereçadas à cidadãos comuns, em pequenos pacotes atrelados à compra realizada, como se fossem um brinde.

Embaixada da China diz que etiqueta de embalagem com sementes clandestinas é falsa

Segundo a embaixada, a checagem das informações do pacote teria sido feita pela China Post, empresa estatal que opera o serviço postal no país asiático

A Embaixada da China no Brasil se manifestou após a notícia de que um morador de Jaraguá do Sul (SC) recebeu um pacote com sementes clandestinas junto com uma encomenda feita pela internet.  Por meio de nota, a embaixada chinesa alegou que a etiqueta com informações de endereço contidas na embalagem é falsa.

Segundo a nota, a checagem das informações do pacote teria sido feita pela China Post, empresa estatal que opera o serviço postal no país asiático. A análise da empresa mostrou que o layout da etiqueta, bem como as informações de endereço estavam inseridas de forma errada.

  • Entenda os riscos da entrada de sementes clandestinas no Brasil

A embaixada afirma, ainda, que o China Post, segue todas as normas da União Postal Universal, que proíbe o transporte de sementes pelos correios.

Leia abaixo a íntegra da nota enviada pela embaixada da China no Brasil

Sementes de plantas são artigos proibidos como importados (ou em trânsito) ou apenas admitidos condicionalmente para os países membros da UPU (União Postal Universal). O China Post segue estritamente as disposições da UPU e proíbe o transporte de sementes pelos correios. Segundo a Cidasc o estado de Santa Catarina do Brasil encontrou recentemente algumas embalagens de sementes com etiquetas de endereço sugerindo que elas foram enviadas da China. Após verificação com o China Post, essas etiquetas de endereço se revelaram falsas com layouts e informações errôneos.

Fonte: Site Canal Rural

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.