Bombeiros Voluntários de Itaiópolis relatam os momentos na ajuda ao resgate de vítimas em Brumadinho/MG

Por Gazeta de Itaiópolis - 09/02/2019

No dia 26 de janeiro, um dia após o rompimento da barragem da Vale do Rio Doce, na cidade de Brumadinho/MG, Bombeiros Voluntários (BVs) de Itaiópolis se juntaram a equipes de mais seis cidades catarinenses – Indaial, Presidente Getúlio, Ibirama, Ilhota, São João do Itaperiú e Balneário Barra do Sul – para auxiliar no resgate das vítimas.

Ao todo 29 Bombeiros Voluntários de Santa Catarina participaram da ação. A guarnição de Itaiópolis ajudou com dois voluntários, os BVs Cleiton e Edson que relataram como foram os dias de trabalho a procura de vítimas.

Os BVs chegaram ao local do acidento no dia 27 (domingo), após 24 horas de viagem, e imediatamente entraram em ação. Contam que se depararam com um cenário de destruição jamais vistos por eles.

A equipe de Santa Catarina ficou responsável pelo resgate terrestre, atuando na margem do rio de lama que se criou após o rompimento da barragem. Também auxiliaram no resgate em parte da ‘zona quente’ – principal região atingida pela barragem.

Contaram que foram dias de exaustivo trabalho nas buscas de vítimas e sempre com a esperança de encontrar alguém com vida, porém com o passar dos dias eles mesmo sabiam que achar alguém vivo era muito difícil. Descrevem ainda a dificuldade em fazer as buscas na lama e encontrar corpos, onde achavam apenas segmentos (membros do corpo).

Relataram ainda o momento de tensão que viveram no dia 30 (quarta-feira), quando uma tempestade atingiu o local. Segundo eles foi uma chuva com um grande volume de água, ventos fortes e granizo. A chuva derrubou árvores e postes e deixou o grupo ilhado. Eles só conseguiram sair de onde estavam por estarem carregando um moto-serra que possibilitou que eles abrissem caminho. Neste mesmo dia devido à tempestade eles realizaram o resgate de três bombeiros que faziam buscas diretamente na lama, que com a forte chuva começou a se movimentar.

Os dois BVs de Itaiópolis classificam o período que passaram em Brumadinho como um momento triste e de muito trabalho, como uma experiência, mas que esperam não precisarem mais atuar em uma situação como a que encontraram na cidade mineira.

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.