Em nota, Diocese nega apoio de bispo à candidatura do padre Sidnei

Sacerdote divulgou novo vídeo nas redes sociais onde afirma que pré-candidatura é uma decisão particular e de sua responsabilidade

Por Gazeta de Riomafra - 12/02/2020

Neste fim de semana o padre Sindei Marcelino divulgou um vídeo nas redes sociais lançando seu nome como pré-candidato a prefeito de Mafra. No vídeo o padre diz contar com o apoio e a bênção do bispo da Diocese de Joinville, Dom Francisco Carlos Buch, para disputar o pleito deste ano.

O vídeo onde o padre conta estar tranquilo com a sua tomada de decisão rapidamente viralizou em Mafra, com diversas mensagens de apoio e contrárias a entrada do pároco na política.

Na segunda-feira (10) a Diocese de Joinville, através de uma nota, afirmou que o bispo Dom Francisco não apoia ou abençoa nenhuma candidatura política seja ela para cargos do executivo ou legislativo.

A Diocese explica ainda que, conforme o Código de Direito Canônico e as Normas de e Condutas para o Clero da Diocese de Joinville não permite que clérigos, sacerdotes ou diáconos se filiam a partidos políticos. Para que sejam candidatos os padres devem se afastar de suas funções ministeriais

Ainda na segunda-feira o padre Sidnei publicou um novo vídeo onde esclarece a sua posição quanto à possível investidura em uma candidatura a prefeito. Ele fala que a decisão é particular e de sua responsabilidade, que em visita ao bispo pediu a bênção para que pudesse seguir o seu caminho e que o bispo não estão apoiando sua pré-candidatura. “Quero deixar claro que a visita ao bispo foi para pedir uma bênção para que pudesse seguir o meu caminho dentro de um contexto político. O bispo não está apoiando [a candidatura]. A Igreja não apoia nenhum partido, ela é apartidária”, destacou.

NOTA DA DIOCESE DE JOINVILLE NA ÍNTEGRA

A Diocese de Joinville esclarece que segundo o contexto do cânone 285 do Código de Direito Canônico e as Normas e Condutas para o Clero da Diocese de Joinville, não é permitido a um clérigo, sacerdote ou diácono, filiar-se a um partido político e concorrer a um cargo político. Se o padre ou o diácono optar por disputar a eleição, ele será afastado das funções ministeriais conforme determina o Código de Direito Canônico.

No caso específico do padre Sidnei Marcelino, que recentemente divulgou um vídeo colocando-se à disposição para ser vice-prefeito de Mafra, a Diocese de Joinville informa que Dom Francisco Carlos Bach, bispo diocesano, não apoia ou abençoa nenhuma candidatura política seja ela para cargos do executivo ou legislativo.

Lembramos ainda que, de acordo com a legislação eleitoral (Lei nº 9.504/97 e Resolução nº 23.457/15 (TSE) é vedada a veiculação, em templos religiosos, de propaganda eleitoral, comícios, manifestação de apoio ou agradecimento público a candidatos e pré-candidato políticos.

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.