Membros da Associação da Bacia do Rio São João e da Bacia do Rio Papanduva visitam Mafra

A visita teve a finalidade de convidar a população de Mafra seminário “Problemas causados pela Extração do Óleo e do Gás de Xisto” que acontecerá em Papanduva na próxima segunda-feira 18

Por Gazeta de Riomafra - 16/03/2019

Nesta semana, a Câmara de Vereadores de Mafra, recebeu a visitada de integrantes da Associação da Bacia do Rio São João e da Bacia do Rio Papanduva (PRORIOS).

O objetivo da visita foi convidar a população mafrense e o poder legislativo para o seminário “Problemas causados pela Extração do Óleo e do Gás de Xisto e a Constitucionalidade da Lei Municipal”. Os principais organizadores são a equipe da Coalizão Não Francking Brasil (COESUS) e a da Associação da Bacia do Rio São João e da Bacia do Rio Papanduva (PRORIOS). Além delas, estão Arayara, Não Fracking Brasil e 350.Org Brasil.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -
Breithaupt Mafra

SEMINÁRIO

Com presença de especialistas e autoridades, serão debatidas questões econômicas, sociais e ambientais que envolvem a prática.

Na próxima segunda-feira 18, será realizado o seminário “Problemas causados pela extração do óleo e do gás de xisto”, às 19h, no Salão Paroquial da Paróquia São Sebastião, em Papanduva (SC). O objetivo é conscientizar a população da região acerca dos riscos destes métodos de extração. O evento é uma realização da Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida (COESUS), da 350.org Brasil, do Instituto Internacional Arayara e da Associação de Proteção da Bacia do Rio São João e da Bacia do Rio Papanduva (PRORIOS).

A presidente da PRORIOS, Maria Lucia Wawrzyniak, acredita que o evento é uma grande oportunidade para os moradores, sendo um grande alerta para toda a região.

“Dessa forma será possível entender todas as questões econômicas, sociais e ambientais que envolvem a exploração do xisto e, à partir disso, os indivíduos poderão se posicionar de forma mais fundamentada – com todo o embasamento técnico necessário“, explica.

“Nós da COESUS e da 350.org Brasil entendemos que é muito importante debater e nos informar mais sobre a extração de xisto para que não sejamos enganados – garantindo a proteção de Papanduva e região dos malefícios que podem vir a ser causados“, conta a agricultora, especialista em sustentabilidade e coordenadora da Campanha Não Fracking Brasil, Suelita Röcker.

De acordo com as organizações, além da presença da presidente da PRORIOS e da coordenadora da Campanha Não Fracking Brasil, também estarão na composição da mesa do seminário o presidente da Câmara de Vereadores, Tafarel Schons; o Bispo da Diocese de Caçador, dom Severino Clasen; o geólogo e professor emérito da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Luiz Fernando Scheibe, representantes da 350.org Estados Unidos e COESUS.

A EXPLORAÇÃO DO ÓLEO E GÁS DE XISTO

Papanduva e cidades vizinhas estão localizadas sobre um território de grande potencial minerário. Considerando suas formações geológicas – que possuem amplas áreas de xisto e carvão – torna-se possível a exploração destas reservas por meio de quatro técnicas distintas: o Petrosix; o Fracking; o Coalbed Methane (CBM) e Tar Sands. Técnicas estas que serão abordadas durante o seminário, apontando também seus impactos socioambientais.

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.