Passeata conjunta entre os CAPS de Mafra e Rio Negro lembram o mês da Luta Antimanicomial

Por Assessoria - 18/05/2022

18 de maio é o Dia da Luta Antimanicomial. O Movimento se caracteriza pela luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental. Dentro desta está o combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos, premissa baseada apenas nos preconceitos que cercam a doença mental

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Ao som da música “Metamorfose Ambulante” de Raul Seixas, os usuários dos CAPS de Mafra e Rio Negro reliazaram, na manhã do dia 18, uma passeata da Praça João Pessoa, em Rio Negro, até o mural das nações, em Mafra. O tema “A luta contra o preconceito continua” reuniu além dos usuários, as coordenadoras dos CAPS, Adriana Moro (Mafra) e Vivian Jungles Barbosa (Rio Negro), alunos do 8º ano do Colégio Bom Jesus, profissionais de saúde, apoiadores, além do prefeito de Rio Negro James Karson Valério e o vice-prefeito Alessandro von Linsingen.

Saúde mental em foco

Para as coordenadoras as ações deste mês de luta antimanicomial visam evidenciar a dimensão da importância sobre saúde mental e quanto as pessoas sofrem com o preconceito. Vivian reforça que “há carências de condições adequadas para atender a demanda que infelizmente está crescendo”. Já Adriana lembrou ainda que não só usuários, pacientes e profissionais de saúde que têm de lutar pelo acesso ao tratamento, “mas toda comunidade invocando por um tratamento mais justo, sem preconceito, com mais paz”.

O prefeito James Karson Valério destacou o mérito da ação, no sentido de bem cuidar e conscientizar sobre o tema. “Isso é importante para inserir o usuário novamente na sociedade, para resgatá-lo e valorizá-lo. Essas pessoas com comportamento especial devem ser respeitadas e participar condignamente de uma sociedade organizada”, disse.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Assim como o prefeito James, o prefeito de Mafra, Emerson Maas, apoia as ações dos CAPS quanto aos cuidados com os seus usuários. “Conforme estabelece a Lei nº 10.216/2.001, é de responsabilidade do Estado o desenvolvimento da política de saúde mental no Brasil, através do fechamento de hospitais psiquiátricos, abertura de novos serviços comunitários e participação social no acompanhamento de sua implementação. Portanto, como gestor municipal, devemos voltar nosso olhar às políticas públicas para provimento da qualidade de vida dos usuários”.

Desde o dia 1º de maio o Caps I Casa Azul de Mafra vem trabalhando com ações voltadas ao mês da Luta Antimanicomial. Maio é marcado por este relevante movimento para a defesa de tratamentos justos e dignos para pessoas com problemas de saúde mental, que defende a valorização do fator humano e a importância da dignidade. Este ano as ações serão desenvolvidas em parceria com o Caps de Rio Negro (PR). Dentre as atividades que já aconteceram: participação Caps de Rio Negro na feira do trabalhador no dia 1º, com o tema psicofobia, e a participação do Caps de Mafra na feira dos agricultores vendendo os produtos produzidos pelos seus artesãos. Até o final do mês há diversos eventos já programados.

Eventos de maio

– Dia 19 de maio – Sarau conjunto poesias e arte sobre o “ser” em liberdade, início às 14 horas no coreto da Praça Hercílio Luz.

– Dia 31 de maio – Exposição do Caps de Rio Negro na livraria Prefácio, a partir das 14 horas, em Rio Negro.

Outras ações durante o mês

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

– Exposição itinerante “Ser mulher em liberdade do Caps de Mafra” nas repartições públicas de Mafra

– Participações nas rádios de Rio Negro e Mafra falando sobre a importância do dia 18 de maio – Dia Nacional da Luta Antimanicomial.

COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.