Tire as principais d√ļvidas sobre o COVID-19

Por Assessoria - 24/03/2020

O que é o novo coronavírus?

√Č um v√≠rus que tem causado doen√ßa respirat√≥ria ‚ÄĒa covid-19‚ÄĒ pelo agente coronav√≠rus, recentemente identificado na China. Os coronav√≠rus s√£o uma grande fam√≠lia viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infec√ß√Ķes respirat√≥rias em seres humanos e em animais. Geralmente, infec√ß√Ķes por coronav√≠rus causam doen√ßas respirat√≥rias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Alguns coronav√≠rus podem causar doen√ßas graves com impacto importante em termos de sa√ļde p√ļblica, como a Sars (S√≠ndrome Respirat√≥ria Aguda Grave), identificada em 2002 e a Mers (S√≠ndrome Respirat√≥ria do Oriente M√©dio), identificada em 2012.

Por que a doença foi batizada de covid-19?

“Co” significa corona, “vi” vem de v√≠rus, e “d” representa “doen√ßa”. O n√ļmero 19 indica o ano de sua apari√ß√£o, 2019. Esse nome substitui o de 2019-nCoV, decidido provisoriamente ap√≥s o surgimento da doen√ßa respirat√≥ria. O novo nome foi escolhido por ser f√°cil de pronunciar e n√£o ter refer√™ncia estigmatizante a um pa√≠s ou a uma popula√ß√£o em particular.

Quais são os sintomas do coronavírus?

Os sinais e sintomas clínicos são principalmente respiratórios, como: febre que não cessa com remédio tosse seca ou com catarro e dificuldade para respirar. Mas também podem surgir cansaço, dores articulares, congestão nasal, dor de garganta e diarreia. Esses sintomas são normalmente leves e podem progredir. Muitas pessoas infectadas não desenvolvem os sintomas nem sentem-se mal. Cerca de 80% dos casos se recuperam sem tratamento especial. No entanto, 1 em cada 6 casos tem grave falta de ar. Idosos, pessoas com diabetes, pressão alta e outros problemas cardiovasculares são mais suscetíveis a desenvolver sintomas sérios.

Ele causa perda de olfato e paladar?

As autoridades sanit√°rias da Fran√ßa advertiram que a perda do olfato ou do paladar pode ser um dos sintomas no caso de infec√ß√£o pelo coronav√≠rus. O diretor-geral de Sa√ļde do pa√≠s, J√©r√īme Salomon, disse que o Conselho Profissional de Otorrinolaringologia os alertou para um aumento dos casos de anosmia ‚ÄĒperda total do olfato‚ÄĒ sem obstru√ß√£o nasal. “Parece, desde os primeiros resultados que temos, que estas s√£o formas leves de infec√ß√£o por coronav√≠rus, especialmente entre os jovens”, afirmou Salomon.

O que muda agora que uma pandemia foi declarada?

O termo √© usado para descrever uma situa√ß√£o em que uma doen√ßa infecciosa amea√ßa muitas pessoas ao redor do mundo simultaneamente. O exemplo mais recente foi a dissemina√ß√£o global do v√≠rus influenza H1N1, que causou a pandemia da gripe su√≠na, em 2009. Especialistas acreditam que ele tenha infectado milh√Ķes de pessoas e matado centenas de milhares.

Mas uma pandemia não se caracteriza pela gravidade da doença que ela causa. O principal fator é o geográfico, quando todas as pessoas no mundo correm risco. Pandemias são mais prováveis com novos vírus. Como não temos defesas naturais contra eles ou medicamentos e vacinas para nos proteger, eles conseguem infectar muitas pessoas e se espalhar facilmente e de forma sustentada.

Como surgiu o coronavírus?

Novos v√≠rus s√£o descobertos a todo momento. Grande parte pula de outras esp√©cies, onde passam despercebidos, para os humanos. A Sars passou para os humanos a partir de um animal selvagem conhecido como civeta (ou gato-de-alg√°lia, parente do guaxinim) ‚ÄĒque era considerado uma iguaria na regi√£o de Guangdong, na China.

Já a Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio, na sigla em inglês), que matou 858 dos 2.494 pacientes identificados com a infecção desde 2012, geralmente pula de dromedários.

Qual a forma de transmissão do vírus?

A transmiss√£o dos coronav√≠rus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secre√ß√Ķes contaminadas, como: got√≠culas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal pr√≥ximo, como toque ou aperto de m√£o; contato com objetos ou superf√≠cies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos. O v√≠rus pode ficar incubado por duas semanas, per√≠odo em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infec√ß√£o.

Quanto tempo o vírus sobrevive em superfícies?

Alguns estudos sobre outros coronav√≠rus descobriram que eles podem sobreviver em superf√≠cies de metal, vidro e pl√°stico por at√© nove dias, a menos que sejam desinfetados adequadamente. Esse per√≠odo pode chegar a 28 dias em baixas temperaturas. Um outro estudo, do Instituto Nacional de Sa√ļde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em ingl√™s), que ainda n√£o foi publicado em uma revista cient√≠fica, aponta que o v√≠rus pode sobreviver em got√≠culas por at√© tr√™s horas ap√≥s ser expelido no ar por uma tosse. Gotas finas entre 1 e 5 micr√īmetros de tamanho, cerca de 30 vezes menores do que um fio de cabelo humano, podem permanecer no ar por v√°rias horas.

Isso significa que o v√≠rus que circula em sistemas de ar-condicionado n√£o filtrados s√≥ sobreviver√° por algumas horas, principalmente porque as got√≠culas tendem a se depositar em superf√≠cies mais rapidamente quando h√° circula√ß√£o de ar. Ele tamb√©m tende a sobreviver por mais tempo quando depositado sobre papel√£o ‚ÄĒat√© 24 horas‚ÄĒ e de dois a tr√™s dias sobre superf√≠cies de pl√°stico e a√ßo inoxid√°vel. Os resultados sugerem que o v√≠rus pode sobreviver por este tempo em ma√ßanetas de portas, bancadas e outras superf√≠cies duras. Os pesquisadores descobriram, no entanto, que as superf√≠cies de cobre tendem a matar o v√≠rus em cerca de quatro horas.

O coronavírus sobrevive no ar?

Já em relação ao ar, o estudo do NIH mostrou que o vírus permanece por até 3 horas após ser expelido por tosse, espirro ou exalado por uma pessoa infectada. No entanto, os autores ressaltaram que ainda não está claro se a doença pode ser transmitida de pessoa para pessoa pelo ar.

Como se prevenir e evitar o coronavírus?

O Minist√©rio da Sa√ļde orienta cuidados b√°sicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infec√ß√Ķes respirat√≥rias agudas, incluindo o novo coronav√≠rus. Entre as medidas est√£o:

Profissionais de sa√ļde devem utilizar medidas de precau√ß√£o padr√£o, de contato e de got√≠culas (m√°scara cir√ļrgica, luvas, avental n√£o est√©ril e √≥culos de prote√ß√£o). Para a realiza√ß√£o de procedimentos que gerem aerossoliza√ß√£o de secre√ß√Ķes respirat√≥rias como intuba√ß√£o, aspira√ß√£o de vias a√©reas ou indu√ß√£o de escarro, dever√° ser utilizado precau√ß√£o por aeross√≥is, com uso de m√°scara N95.

Quando usar m√°scara?

As m√°scaras cir√ļrgicas s√£o essenciais para as pessoas doentes e recomendadas nas regi√Ķes mais afetadas, mas n√£o garantem uma prote√ß√£o de 100% contra a epidemia. Como n√£o est√£o completamente presas ao rosto, elas deixam o ar entrar sem filtragem e voc√™ pode inalar o v√≠rus. A OMS recomenda o uso tamb√©m para quem cuida de pessoas doentes. Se voc√™ n√£o est√° doente ou cuidando de algu√©m doente, est√° desperdi√ßando uma m√°scara em um momento de falta de insumos no mundo todo. Os especialistas tamb√©m insistem que, ap√≥s algumas horas, elas devem ser trocadas, aconselhando os tipos mais caros, as chamadas m√°scaras de prote√ß√£o respirat√≥ria individual, compostas por uma pe√ßa facial e um dispositivo de filtragem de ar de uma vida √ļtil mais longa.

Como é feito o diagnóstico do novo coronavírus?

O diagn√≥stico do novo coronav√≠rus √© feito com a coleta de materiais respirat√≥rios com potencial de aerossoliza√ß√£o (aspira√ß√£o de vias a√©reas ou indu√ß√£o de escarro). √Č necess√°ria a coleta de duas amostras na suspeita do novo coronav√≠rus. As duas amostras ser√£o encaminhadas com urg√™ncia para o Lacen (Laborat√≥rio Central de Sa√ļde P√ļblica). Uma das amostras ser√° enviada ao NIC (Centro Nacional de Influenza) e outra amostra ser√° enviada para an√°lise de metagen√īmica.

Coronavírus tem cura? Como é o tratamento?

N√£o existe tratamento espec√≠fico para infec√ß√Ķes causadas por coronav√≠rus humano. No caso do novo coronav√≠rus, √© indicado repouso e consumo de bastante √°gua, al√©m de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso, como, por exemplo: uso de medicamento para dor e febre (antit√©rmicos e analg√©sicos), uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no al√≠vio da dor de garganta e tosse.

Caso voc√™ tenha sintomas e eles progredirem, √© fundamental procurar ajuda m√©dica imediata para confirmar diagn√≥stico e iniciar o tratamento. Todos os pacientes devem ser alertados para a possibilidade de piora tardia do quadro cl√≠nico e sinais de alerta de complica√ß√Ķes como: aparecimento de febre (podendo haver casos iniciais sem febre), eleva√ß√£o ou reaparecimento de febre ou sinais respirat√≥rios, taquicardia (aumento dos batimentos card√≠acos), dor pleur√≠tica (dor no peito), fadiga (cansa√ßo) e dispneia (falta de ar).

E a hidroxicloroquina e a cloroquina?

A not√≠cia de que Donald Trump pediu pressa para aprovar o uso da hidroxicloroquina para tratar a covid-19 trouxe esperan√ßa para a luta contra a pandemia de coronav√≠rus. Usada contra mal√°ria, a droga √© alvo de mais de 20 pesquisas ao redor do mundo e tem se mostrado muito eficaz no combate √† covid-19. Em um recente estudo do Instituto Mediterr√Ęneo de Marselha, na Fran√ßa, por exemplo, o uso da hidroxicloroquina foi capaz de eliminar o coronav√≠rus do organismo de 70% dos pacientes ap√≥s seis dias de tratamento.

Embora os resultados preliminares estejam entusiasmando m√©dicos e a cloroquina tenha uma potente a√ß√£o anti-inflamat√≥ria, que pode ser √ļtil nesse momento de crise, o fato √© que o uso da subst√Ęncia contra o coronav√≠rus ainda n√£o √© seguro. Por isso os estudos devem avan√ßar com calma. Aqui no Brasil, a rede Prevent Senior, em cujos hospitais houve muitas mortes pelo v√≠rus, e o Hospital Albert Einstein v√£o testar o uso do medicamento em casos mais graves. Vale ressaltar que o rem√©dio n√£o tem a√ß√£o preventiva.

Uma pessoa pode se infectar duas vezes?

Apesar de haver um relato no Jap√£o de um homem que teria sido reinfectado, a OPAS (Organiza√ß√£o Pan-Americana da Sa√ļde) disse que “como se trata de um novo v√≠rus, e sobre o qual ainda aprendemos mais todos os dias, no momento, n√£o podemos dizer com certeza absoluta que uma pessoa infectada com o v√≠rus n√£o pode se infectar novamente.” Uma opini√£o semelhante √© defendida pelo virologista espanhol Luis Enjuanes, que afirma haver “uma porcentagem de pacientes, de pelo menos 14%, que, depois de terem testado negativo, retornaram ao positivo”. No entanto, o pesquisador do Conselho Superior de Investiga√ß√Ķes Cient√≠ficas (CSIC), a principal institui√ß√£o de pesquisas cient√≠ficas da Espanha, disse que esses casos podem estar ligados a uma “recupera√ß√£o” do v√≠rus, em vez de uma nova infec√ß√£o.

Antibióticos são efetivos em prevenir ou tratar a covid-19?

N√£o. Antibi√≥ticos n√£o funcionam contra v√≠rus, apenas contra infec√ß√Ķes bacterianas. A covid-19 √© causada por um v√≠rus, ent√£o antibi√≥ticos n√£o funcionam e n√£o devem ser usados como preven√ß√£o ou tratamento da doen√ßa.

Quem corre mais riscos?

Os idosos s√£o os que mais correm riscos. A partir dos 65 anos, a taxa de mortalidade cresce exponencialmente. Por exemplo, na China: a taxa de mortalidade entre os infectados at√© 40 anos √© de 0,2%. Entre 70 e 79 anos, √© de 8%. E acima de 80 anos, sobe para 14,8%. Por isso, principalmente os idosos dever√£o se cuidar nas pr√≥ximas semanas ou meses, e mais ainda se eles j√° tiverem alguma outra doen√ßa. Esse grupo de risco deve de todas as maneiras evitar aglomera√ß√Ķes.

Av√≥s n√£o devem de forma alguma cuidar dos netos caso estes estejam de quarentena e n√£o puderem ir √† escola. E parentes mais jovens devem assumir a tarefa de ir ao supermercado. Quase todos os mortos pelo coronav√≠rus j√° estavam doentes antes da infec√ß√£o. Segundo uma an√°lise dos casos na China feita pela OMS, os riscos s√£o maiores em casos de doen√ßas cardiovasculares, diabetes, press√£o alta, doen√ßas respirat√≥rias cr√īnicas e c√Ęncer.

E as crianças?

As crianças não são as mais atingidas pelo novo coronavírus. Claro que elas também são infectadas, mas não desenvolvem a doença ou apenas apresentam sintomas leves. A explicação ainda não é conhecida. Médicos acreditam que isso se deva à imunidade inespecífica, que todo ser humano tem ao nascer e que age da mesma maneira contra qualquer agente estranho ao organismo.

Como proteção contra os primeiros agentes patogênicos, a mãe passa ao feto e mais tarde ao recém-nascido, por meio do leite materno, sua própria imunidade, chamada específica ou congênita. Desta fazem parte, por exemplo, as células exterminadoras naturais e os macrófagos. Essa imunidade costuma dar conta do recado até as crianças desenvolverem sua própria imunidade específica, o que ocorre até os 10 anos de idade. E também depois disso, o sistema imunológico continua aprendendo a se defender de novas doenças.

Meu pet pode me transmitir o coronavírus?

Apesar de ter relato de um cachorro infectado em Hong Kong, não há evidência suficiente de que animais de estimação possam transmitir o vírus aos humanos.

O SUS tem tratamento para a doença?

Não existe medicação específica para o vírus. O tratamento é feito com base nos sintomas de cada paciente.

Há vacina contra o coronavírus?

Ainda não. Algumas vacinas e remédios específicos para o tratamento estão sob investigação. Eles estão sendo testados em estudos clínicos.

Qualquer hospital pode receber esse paciente?

Para um correto manejo cl√≠nico desde o contato inicial com os servi√ßos de sa√ļde, √© preciso considerar e diferenciar cada caso. Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Refer√™ncia estadual para isolamento e tratamento. Os casos suspeitos leves podem n√£o necessitar de hospitaliza√ß√£o, sendo acompanhados pela Aten√ß√£o Prim√°ria e institu√≠das medidas de precau√ß√£o domiciliar. Por√©m, √© necess√°rio avaliar cada caso.

Qual é a diferença dessa doença para uma gripe, já que os sintomas são parecidos?

No início da doença, não existe diferença quanto aos sinais e sintomas de uma infecção pelo novo coronavírus em comparação com os demais vírus. Se os sintomas estiverem severos, procure um hospital. Só um teste vai garantir que você está infectado.

Por quanto tempo a doença pode ficar incubada?

A doença pode ficar incubada até duas semanas após o contato com o vírus. O período médio de incubação é de 5 dias, com intervalo que pode chegar até a 14 dias.

Qual exame detecta o coronavírus?

Para detectar a doen√ßa √© necess√°rio realizar exames de biologia molecular que detecte o RNA viral. √Č importante seguir as orienta√ß√Ķes que est√£o no boletim em rela√ß√£o aos procedimentos para o diagn√≥stico laboratorial.

Países em que o vírus já chegou

O v√≠rus tamb√©m j√° chegou em mais de 160 pa√≠ses. Vale ressaltar que mais de 106 mil pessoas se recuperaram da doen√ßa. No dia 11 de mar√ßo, a OMS (Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde) declarou a crise do coronav√≠rus como uma pandemia. O termo √© usado para descrever uma situa√ß√£o em que uma doen√ßa infecciosa amea√ßa muitas pessoas ao redor do mundo simultaneamente.

O exemplo mais recente foi a dissemina√ß√£o global do v√≠rus influenza H1N1, que causou a pandemia da gripe su√≠na, em 2009. Especialistas acreditam que ele tenha infectado milh√Ķes de pessoas e matado centenas de milhares. Mas uma pandemia n√£o se caracteriza pela gravidade da doen√ßa que ela causa. O principal fator √© o geogr√°fico, quando todas as pessoas no mundo correm risco. Pandemias s√£o mais prov√°veis com novos v√≠rus. Como n√£o temos defesas naturais contra eles ou medicamentos e vacinas para nos proteger, eles conseguem infectar muitas pessoas e se espalhar facilmente e de forma sustentada. (Com informa√ß√Ķes de OMS, DW, BBC, AFP e Minist√©rio da Sa√ļde).

Fonte das informa√ß√Ķes: Portal UOL

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENT√ĀRIO

Por favor, digite o seu coment√°rio.
Por favor, informe o seu nome.