Jeans, o tecido mais querido do mundo

Os tons azuis esbranquiçados rapidamente fizeram a cabeça de todos e o jeans tornou-se eternamente fashion

Por GB Edições - 10/12/2015

Quem diria, o jeans já foi bem impopular e sinônimo de tecido pesado apropriado apenas para quem fazia trabalho braçal. Quem poderia imaginar que se tornaria um ícone da moda e, sem sobra de dúvida, um dos tecidos mais apreciados pela humanidade.

Quando começou a ganhar popularidade, o jeans era uma espécie de símbolo da rebeldia. A partir da década de 1950, o tecido e a modelagem mais justas das calças entraram definitivamente nas passarelas / GB Imagem
Quando começou a ganhar popularidade, o jeans era uma espécie de símbolo da rebeldia. A partir da década de 1950, o tecido e a modelagem mais justas das calças entraram definitivamente nas passarelas / GB Imagem

Quando o jeans foi inventado, ninguém dava nada por aquele tecido rústico e duro usado para confeccionar roupas para os trabalhadores nas minas. Pode-se dizer que o jeans é uma moda recente. Ele ficou popular na década de 1950.

É a roupa do dia a dia, de ir à escola, ao trabalho e até as festas mais sofisticadas, basta saber combinar os adereços. O clássico “jeans e camiseta branca” é um ícone. Eternamente fashion.

O que não dá para imaginar é que tudo começou com o comércio de lonas nas minas do oeste americano, lá pelos idos de 1850. Era comum os mercadores oferecerem o produto aos mineradores, no entanto o mercado ficou saturado e ninguém mais sabia o que fazer com tantas lonas foi aí que o alemão Levi Strauss teve a ideia de fazer calças para serem usadas pelos trabalhadores das minas. Foi o maior sucesso, eles adoraram a novidade porque o tecido (na época em cor bege) era forte e não se rasgava com facilidade como as roupas que usavam. Strauss, homem esperto e preocupado porque o seu jeans era muito duro, resolveu pesquisar e encontrou algo melhor, em Nimes, na França. O tecido era resistente e mais flexível e, a partir de uma corruptela da expressão De Nimes, acabou virando Denim. Foi ainda ideia de Levi tingir o tecido Denim usando a raiz de uma planta chamada Indigus, tornando o originalmente branco, azul. Estava criado o Denim Índigo Blue.

E por que Jeans? É por causa dos marinheiros genoveses que se referiam às calças que usavam para fazer seu trabalho como “genes”. Daí o nome conhecido até hoje.

Mas, foi graças a Elvis Presley, James Dean, Marlon Brando e outros astros da década de 1950 que o jeans entrou na moda para sempre. Quem poderia resistir às novas calças que apertavam as pernas e quadris de Presley enquanto ele cantava e dançava inebriando a juventude na época?

Para completar, veio à revolução da década de 1960 e o jeans virou símbolo de novas ideias e de novos tempos.

O primeiro estilista que “ousou” colocar o jeans na passarela foi Calvin Klein, nos anos 1970. Foi um verdadeiro choque. Apesar de muito criticado, não demorou nada para que outros grandes nomes da moda fizessem o mesmo. Acabou-se o preconceito. O jeans virou coisa chique.

O jeans tanto por ser usado no dia a dia, como em ocasiões mais formais. É possível encontrar uma grande variedade de modelagem das calças que vestem bem qualquer tipo de corpo, tanto feminino como masculino / GB Imagem
O jeans tanto por ser usado no dia a dia, como em ocasiões mais formais. É possível encontrar uma grande variedade de modelagem das calças que vestem bem qualquer tipo de corpo, tanto feminino como masculino / GB Imagem

Atualmente, existem inúmeros tipos de tecidos jeans, alguns carregam o nome de grandes grifes assim como existem inúmeras imitações e índigos blues para todos os gostos e bolsos. Se lá naquele começo não havia muita preocupação com a modelagem das calças, hoje isto também segue a tendência da moda.

As cores também podem ser azul, em seus mais variados tons, preto e outros matizes; sendo que o tecido aparece também nas jaquetas, saias, vestidos, bermudas e tudo mais que a imaginação permitir.

Os modelos tradicionais, com cintura no lugar, bolsos e corte reto caem bem no corpo de todas e todos.

Tem ainda o “antifit”, um pouco mais despojado que o tradicional e pode vir com botões, ao invés de zíperes, e outros adereços.

O jeans apertado é chamado de “Slin Fit”; cintura baixa, lembra o Saint-Tropez, marca a silhueta e quem está fora do peso ideal deve fugir dele.

E quem não se lembra do “Semibaggy”, sucesso por aqui nos anos 1970 e 1980, para quem tem cintura fina e quadril grande, mas está meio que fora da moda.

O “cigarrete” apertadinho ganhou o reforço da Lycra o que garante a aderência; também meio proibido para os mais gordinhos.

Os preferidos pelos skatistas são mais largos e folgados, cheios de utilizáveis bolsos.

Sem dúvida, o modelo do momento é o Skinny, aquela calça reta, fina de cima em baixo, tipo legging que veste e cola. O modelo invadiu o guarda-roupa de homens e mulheres, mas atenção é proibido para quem tem baixa estatura, para quem está fora de peso, para quem tem quadris largos e para quem tem coxas grossas.

As melhores calças são aquelas confeccionadas em jeans com uma mistura de elastano, para facilitar na hora de vestir. Fique atenta e atento para que o seu bumbum não fique achatado dentro da calça. Procure por uma confecção boa que realce as suas formas.

Para quem não tem o corpo ideal para usar uma Skinny, nada de desespero. As boas marcas têm o jeans apropriado para cada corpo, basta procurar no lugar certo.

Além das variações da cor azul, o jeans também ganhou adereços como bordados e outras aplicações.

O estilo parece mesmo ser eterno, tal qual parece ser a durabilidade do tecido. Veste bem a todos e em qualquer situação.

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.