Óculos escuros vão além da estética e do conforto

É preciso ter atenção na hora da escolha; eles precisam ter comprovada a proteção UVA e UVB

Por GB Edições - 19/01/2016
Os modelos grandes e coloridos, no estilo Jackie Onassis, estão em alta. Eles dão charme ao visual e oferecem boa proteção aos olhos e à pele ao redor deles. Use e abuse do modelito, mas confira se tem fator de proteção recomendado / GB Imagem
Os modelos grandes e coloridos, no estilo Jackie Onassis, estão em alta. Eles dão charme ao visual e oferecem boa proteção aos olhos e à pele ao redor deles. Use e abuse do modelito, mas confira se tem fator de proteção recomendado / GB Imagem

Os óculos escuros há muito tempo deixaram de ser considerados “simples acessório de beleza e sedução”, passando a ser item fundamental, quando o assunto é a proteção dos olhos e da pele ao redor deles. Podemos dizer que se uniu o “útil ao agradável”, porque óculos escuros protegem e conferem charme e os modelos disponíveis no mercado cabem em todos os rostos. Tanto dos homens como das mulheres e também das crianças. Para os pequenos, o mercado adequou-se produzindo modelos confeccionados com atenção especial às necessidades deles. Os especialistas recomendam o uso a partir dos três anos de idade, protegendo assim, desde cedo, dos nocivos efeitos cumulativos do sol.

Os médicos explicam que o uso de óculos escuros é recomendado também no outono e inverno. É preciso proteger-se sempre.

Mesmo sendo item essencial de saúde, os óculos escuros seguem a tendência da moda, assim também como as armações de óculos em geral.

Falando da moda, até hoje há quem siga a tendência ditada por Jackie Onassis na década de 1960 com seus inconfundíveis óculos grandes. Apesar de ter passado por uma releitura, os óculos grandes continuam em alta; eles ganharam lentes degradê que fizeram sucesso nos anos 70 e depois caíram em desuso, e as cores podem ser verde, rosa e amarelo, montados em armações de massa, estas em tons âmbar. Os modelos pequenos e lentes espelhadas devem ficar no fundo da gaveta. Os tradicionais óculos Ray-Ban, estilo voador, são considerados ícones e por isso jamais saem da moda.

Para aqueles e aquelas que têm um estilo mais clássico, uma boa opção são as armações em preto ou castanho-tartaruga, pois não saem da moda tão facilmente.

Mas, como o assunto é ser fashion, como escolher o modelo e a cor certa? O primeiro passo é considerar o tom da pele. Se for pálida, prefira as armações mais discretas em tons rosa ou âmbar. Os estilos tartaruga ficam bem nas peles claras assim como as armações azuis ou verde-claras.

Óculos de sol devem ser usados em todas as estações do ano, apesar de ter o uso intensificado durante o verão. A proteção dos olhos não deve ser negligenciada porque os efeitos do sol são cumulativos e podem causar envelhecimento precoce da pele e doenças oculares / GB Imagem
Óculos de sol devem ser usados em todas as estações do ano, apesar de ter o uso intensificado durante o verão. A proteção dos olhos não deve ser negligenciada porque os efeitos do sol são cumulativos e podem causar envelhecimento precoce da pele e doenças oculares / GB Imagem

Quem tem a pele mais morena pode optar por armações douradas e metalizadas, assim como as de cor âmbar enquanto que o preto “some” e fica pesado em rostos bronzeados.

Depois, considere o formato do rosto. Se for oval, as armações ligeiramente arredondadas e grandes caem bem, mas cuidado para que não pareçam sair fora do rosto.

Pessoas com o rosto redondo devem escolher modelos que afinem o semblante, por isso a armação deve ser da mesma largura e até podem sair um pouco do limite da face, mas sempre em linha reta.

Quem tem rosto quadrado deve fugir dos modelos arredondados, preferindo aros com cantos retangulares e, de preferência, lentes sem armação por baixo.

As armações mais estreitas e arredondadas são ótimas para quem tem a testa larga e o queixo mais fino.

E, o mais importante, os oftalmologistas recomendam que os óculos de sol sejam adquiridos em casas especializadas e devem ter a garantia de que realmente as lentes têm proteção contra os raios solares e nem sempre os mais caros e sofisticados oferecem proteção efetiva aos olhos. É preciso ter cuidado na hora da escolha.

Os efeitos nocivos dos raios UVB e UVA são cumulativos; causam foto envelhecimento precoce, inflamações na córnea e outras doenças que, com o tempo, podem levar à cegueira permanente.

O uso de óculos escuros inadequados, ou seja, sem a garantia de que tem a proteção necessária, inadequado é bem pior do que o efeito do sol. A simples privação de luz nos olhos faz com que a retina se dilate muito, possibilitando assim entrada maior dos raios nocivos, já que a lente não conta com a proteção UVB e UVA.

O ideal é adquirir óculos de sol em locais especializados e idôneos. Na dúvida, fale com o Oftalmologista.

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.