Será que o café é vilão?

Por GB Edições - 08/04/2016

Será que o café é vilão

Poucos produtos têm sido tão estudados quanto o café. Com efeito, ele é objeto de incessantes pesquisas em diversos domínios: sua influência sobre o sistema nervoso, sobre o sistema cardiovascular e digestivo, sobre as taxas de sódio, colesterol etc.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -
Breithaupt Mafra

Muitas vezes essas pesquisas foram fontes de controvérsia e debates. Certa ocasião, nos Estados Unidos, a Food and Drug Administration aconselhou às mulheres grávidas que limitassem ou mesmo evitassem o consumo de café. Naquela época, suspeitava-se que a substância fosse responsável por deformações nos recém-nascidos. E mais, há quem diga que o café provoca manchas nos dentes e, assim, seria um dos maiores vilões para quem está se submetendo ao tratamento de clareamento dentário.

Todo mundo sabe que o consumo do café à noite pode eventualmente dificultar o sono. A cafeína perturba o adormecimento e diminui o sono profundo. Os efeitos variam de um indivíduo a outro e dependeriam do número de xícaras consumidas durante o dia.

Diversos estudos evidenciam que a cafeína desencadeia a ansiedade. Essa manifestação se verifica principalmente em indivíduos predispostos. Assim, em pessoas particularmente vulneráveis, a ingestão de uma xícara pode provocar esse tipo de perturbação.

A cafeína está presente em alguns medicamentos analgésicos, potencializando o efeito desses produtos, e particularmente vem em numerosos remédios contra dores de cabeças. Possui uma ação vasoconstritora ao nível do cérebro.

Quantidades moderadas de café (uma a três xícaras por dia) podem acelerar ou diminuir a frequência cardíaca, de acordo com cada indivíduo. Além dessas quantidades, o coração tende a bater mais depressa.

O café estimula a vesícula biliar, favorecendo suas contrações. Em casos de úlcera gástrica, os médicos recomendam evitar o seu consumo. Os médicos também recomendam às grávidas que moderem o consumo de café. A cafeína absorvida durante a gravidez (acima de três xícaras ao dia) poderia fazer diminuir as taxas de hemoglobina durante as primeiras semanas da vida do recém-nascido. Pesquisas demonstram que a cafeína potencializa a ação de algumas substâncias responsáveis pelas deformações em fetos, tais como nicotina, álcool e irradiações.

Também é aconselhável que a mãe que esteja amamentando não beba mais de duas xícaras de café por dia. A concentração máxima de cafeína no leite materno surge cerca de uma hora depois da absorção do café. A recomendação é que ela só beba café depois de amamentar. A cafeína provoca no bebê irritabilidade e insônia.

A absorção de quantidades muito grandes de cafeína traz o risco de provocar alguns distúrbios, como estados de agitação e insônia, aumento de frequência cardíaca etc. O abuso pode fazer com que surja até estado de confusão mental, mas a intoxicação varia sensivelmente de acordo com cada indivíduo. Entre os adultos, estima-se que pode ser fatal ir além das 75 xícaras de café.

Ah, mas vamos combinar que é bem difícil consumir 75 xícaras de café em um só dia! Tudo indica que também o caso da ingestão do café, fica prevalecendo o bom senso. Nada melhor do que um cafezinho coado na hora na companhia de amigos!

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.