A máquina, que ainda está em fase de testes foi observada por muitos fumicultores da região, que ficaram surpresos com o sistema de colheita mecanizada. Alguns agricultores fotografaram o desempenho da máquina colhedeira de tabaco. O local da lavoura onde foi feito o teste ficou completamente tomado por colonos, curiosos, e orientadores de empresas fumageiras que atuam no município de Itaiópolis.

A máquina, de fabricação Italiana, já está sendo usada no Rio Grande do Sul e em alguns municípios de Santa Catarina. Em Itaiópolis, a empresa responsável apenas realizou testes na lavoura de Marcos. A máquina tem o formato de uma colhedeira tradicional de grãos. Ela colhe o tabaco em leiras (carreiras) individuais. Todo o produto colhido é armazenado num compartimento na traseira da máquina. Quando o depósito está cheio, o condutor entorna no local em que desejar.

A Gazeta de Itaiópolis conversou com o representante da empresa, responsável pelos testes. Entretanto, segundo o responsável, a empresa prefere não divulgar maiores detalhes da máquina, de seu desempenho e finalidade, pois ainda está em fase experimental.

Para o prefeito Gervásio, a máquina colhedeira de fumo representa um grande avanço tecnológico na área da fumicultura. O alcaide acredita que nos próximos cinco anos o equipamento já deverá estar sendo usado por fumicultores do município. Itaiópolis é hoje o segundo no ranking catarinense na produção de tabaco.

Especulações

Segundo informações, o município de Itaiópolis produz em grande quantidade fumo do tipo Virginia. Dados não oficiais apontam que a empresa deseja implantar na região uma nova variedade de tabaco. Essa nova variedade é usada para cheiro, remédios entre outras. Já o tabaco produzido e explorado pelas fumageiras no Município da variedade Virginia, é usado como matéria prima para a produção de cigarros e sua boa qualidade depende de colheita manual, para garantir classificação do produto na fase final.