Os funcionários da Casa da Cultura, da Biblioteca e Arquivo Público, da Educação Infantil, da Ação Social e da Prefeitura Municipal prestam uma homenagem à memória de Erci Oliveira Gaio, enterrada na quinta-feira (17), que liderou ações sociais e culturais contribuindo decisivamente para a construção de uma cidade melhor.

Os funcionários lembram-se da cidadã que dedicou ao município de Itaiópolis, através do serviço público, a caminhada de uma vida com a certeza de que o trabalho voltado à cultura, ao resgate da história e ao bem estar coletivo, contribuem na formação da cidadania plena.

Companheira dedicada na vida pública e política, ao lado do marido Alceu Gaio, ex-prefeito de Itaiópolis, Erci liderou ações sociais e culturais contribuindo decisivamente para a construção de uma cidade melhor.

Anseios que vieram de uma mulher generosa e forte, discreta e solidária, que sempre depositou em Itaiópolis, cidade que escolheu para seus filhos e netos, a confiabilidade de suas ações, acreditando que uma cidade com memória será sempre uma cidade com história. Sua obra viverá nos afetos que cultivou. Muitas sementes foram plantadas e cabe àqueles que nela se inspiram, colherem e continuarem semeando.

Projetos do qual Erci fez parte continuam vivos em Itaiópolis

Algumas de suas ações podem ser vistas na Biblioteca e no Arquivo Público, a colaboração no Livro Colônia Lucena, a participação no Livro Integração Social, a execução do projeto História Oral, a Casa da Cultura, a fanfarra municipal, a idealização e organização das festas do Boi Ralado, a idealização e realização do hino e o brasão do município, a praça Brasil, o parque Tia Alzira, os trabalhos nos grupos de terceira idade, a idealização da APAE de Itaiópolis, a participação efetiva na educação infantil em especial na creche Tia Erci e no pré escolar Abelhinha Feliz.

Suas obras estão presentes e serão lembradas em tantos outros pequenos e grandes detalhes, assim como o zelo pelas hortênsias plantadas no caminho e as memórias pintadas no muro.

Homenagem

“E assim chegar e partir…
São só dois lados da mesma viagem…
O trem que chega é o mesmo trem da partida
A hora do encontro é também despedida
A plataforma dessa estação é a vida desse meu lugar, é a vida!”