Mulheres no Rock.

Publicado por Cris Fagundes - 08/03/2013 - 14h58

Boa tarde galera, olha quem está de volta, hoje dia Internacional da Mulher, 08 de março,  irei fazer um texto citando algumas das mulheres mais importantes para o Rock e todas as suas vertentes.

Gostaria de deixar claro que na minha concep√ß√£o, que isso √© apenas uma data¬†simb√≥lica,¬†e hoje em dia de cunho muito comercial (como in√ļmeras outras datas), pois todos os dias √© dia da mulher, assim como de todos os seres humanos de bem, que acrescentam algo em nossas vidas, sem mais delongas, vamos aos trabalhos.

Em uma das minhas rodas de bate papo e chimarr√£o (que eu recuso sempre pra preservar minha garganta) surgem todos os tipos de assunto e pra variar sempre cai no Rock n’ Roll das antigas bem onde eu gosto. Mas o assunto foi pra uma √°rea interessante onde alguns acham que o estilo √© um tanto machista e que as mulheres t√™m pouco espa√ßo dentro do que chamamos “Rock de verdade”. Pra variar eu discordo e prometi colocar algumas dicas das mulheres mais poderosas do Rock n’ Roll, bem como sua import√Ęncia para o mesmo.

Mesmo enfrentando uma sociedade machista e preconceituosa, elas foram aparecendo aos poucos e, apesar de serem bem aceitas hoje, ao menos no meio artístico, muitas ainda são alvo de discriminação perante a sociedade.

Vamos a elas, não poderíamos começar melhor:

Janis Joplin

¬†Ah falar da¬†P√©rola √© complicado pra qualquer um, o que dizer dessa mulher que canta e comp√Ķe de igual pra igual com as grandes feras do blues, ela cultivava uma atitude rebelde, se vestia como os expoentes da gera√ß√£o Beat e como os Hippies, j√° nessa √©poca o consumo de drogas fazia parte de sua vida. Em 1966 como vocalista da Big Brother & The Holding Company, Janis ganhava cada vez mais destaque no show bizz, em 1968 ela sai e forma a Kozmic Blues Band e seu status se elevou aos grandes nomes do rock at√© ent√£o. Janis possui uma discografia pequena mas marcante aos nossos ouvidos.

Janis morreu de overdose aos 27 anos. O filme The Rose, com Bette Midler no papel de Janis Joplin, baseou-se em sua vida mas não é uma obra oficial.

Janis Joplin

 Grace Slick

¬†Sem d√ļvida alguma a cantora e compositora hippie mais poderosa do Rock √© Grace Slick,¬†conhecida como a eterna l√≠der do Jefferson Airplane e das demais encarna√ß√Ķes da¬†banda – Jefferson Starship e Starship – e pelos seus olhos azuis, Grace √© considerada como a¬†personalidade mais importante do Rock Psicod√©lico.

 Grace era amiga íntima de Janis Joplin. Slick foi uma figura importante no desenvolvimento do rock, seu estilo sem compromisso e sua voz ajudaram abrir portas para mais mulheres no mundo do rock, até então dominado por homens. O alcoolismo de Slick tornou-se um problema para suas bandas e assim fez com que partisse para uma carreira solo.

Grace Slick

Mas isso era só o começo. Logo em seguida, o mundo ficaria aos pés de Suzi Quatro, das musas Joan Jett e Lita Ford, que lideravam o The Runaways e do Blondie, comandado pela carismática Debbie Harry.

Mas n√£o foi s√≥ no bom e velho Rock que o erroneamente chamado ‚Äúsexo fr√°gil‚ÄĚ obteve √™xito. Na linha mais pesada, com forte influ√™ncia Punk, as inglesas do Girlschool conseguiram grande repercuss√£o, excursionando at√© com o Mot√∂rhead, considerados os ‚Äúpadrinhos‚ÄĚ da banda.

Alguns anos mais tarde, surgiu o The Bangles, que fez hist√≥ria com √°lbum ‚ÄúAll Over the Place‚ÄĚ, em 1984 e, junto com as meninas do Go Go‚Äôs, foram eleitas os maiores nomes do chamado Pop / New Wave. E j√° que estamos nos anos 80, n√£o poder√≠amos deixar de mencionar o Vixen, o maior representante feminino do Hard Rock, que fez do seu √°lbum de estr√©ia hom√īnimo, um verdadeiro fen√īmeno de vendas em todo o mundo.

Quem tamb√©m marcou √©poca foi a alem√£ Doro Pesch. Primeiro com o Warlock e depois simplesmente como Doro, gravando √≥timos √°lbuns durante os anos 90. E foi tamb√©m nos anos 90 que o mundo conheceu as californianas do L7. Praticando um Heavy Metal sem maiores cerim√īnias, o grupo emplacou v√°rios hits nas r√°dios e na MTV, chegando a se apresentar em terras brasileiras em 1993, no festival Hollywood Rock.

Algumas mulheres ainda ganharam destaque tocando algum instrumento em bandas formadas exclusivamente por homens, como as baixistas Sean Yseult e D‚ÄôArcy Wretzky, do White Zombie e Smashing Pumpkins, ou atuando como ‚Äėfront woman‚Äô, como Gwen Stefani e Shirley Manson, do No Doubt e Garbage, respectivamente.

Tarja Turunen, ex-vocalista da banda finlandesa Nightwish, com sua voz doce, l√≠rica elevou o rock n√≥rdico a outros patamares quando juntamente com a banda lan√ßou¬†Once¬†e depois passou o microfone para Anette Olson. Assim como Angela Gossow, n√≥dica do Arch Enemy. Uma das musas do rock nos √ļltimos tempos, pelo menos pra mim, √© Shamaya Otep, uma beleza √ļnica, cheia de tatuagens e atitude, com um gutural que faz muito marmanjo parecer uma crian√ßa cantando. Pena n√£o ser t√£o valorizada (ainda) no mundo! Assim como as meninas da Kittie, um quarteto de rock pesado que se j√° n√£o deu, vai dar muito o que falar.

E o que falar do rock brasileiro, l√° atr√°s com seus cabelos pintados, num meio extremamente machista, a extravagante Rita Lee fez as vezes de musa do rock brasileiro durante muito tempo.

Uma menção honrosa a Cássia Eller, que marcou toda uma geração, despovoada de mulheres sem atitude alguma no final dos anos 80, voltando no final dos anos 90 apenas para dar um toque aos mais novos e se foi deixando saudades, além da saudosa banda de Heavy Metal, Volkana, só para citar alguns.

S√£o as mulheres tamb√©m que lideram a maior parte dos grupos Doom / Gothic/ Metal Sinf√īnico, com seus vocais l√≠ricos e angelicais, que se encaixam perfeitamente nas orquestra√ß√Ķes e atmosferas viajantes t√£o caracter√≠sticas do estilo. Podemos citar como as maiores representantes, Vibeke Stene (Tristania), Liv Kristine Espen√¶s (Theatre of a Tragedy), Simone Simons (√Čpica), entre outras.

N√£o h√°, portanto, como n√£o reconhecer a import√Ęncia das mulheres no Rock, seja qual for o estilo, a √©poca e a mensagem que elas estiverem nos passando. O fato √© que as mulheres ajudaram a moldar, a aperfei√ßoar e a embelezar n√£o s√≥ a m√ļsica que tanto amamos, mas o mundo em que vivemos.

Enfim, o que n√£o falta hoje s√£o mulheres roqueiras que al√©m da beleza f√≠sica mostram-se cada vez mais competentes naquilo que se prop√Ķe a fazer e √© pra elas que dedicamos esse post! Poderia aqui citar tantas outras, mas a lista √© imensa.¬†Parab√©ns as nossas roqueiras, sejam as que cantam, sejam as que tem atitude, sejam as que curtem!

Janis Joplin ‚Äď Mercedes Benz.

Jefferson Airplane – Somebody To Love/White Rabbit .

Rita Lee – Ovelha Negra.

Volkana – Darkness.

Cassia Eller – 1 de Julho.

Nightwish – Nemo.

Por hoje é só galera, tenham todos uma ótima tarde e até a próxima. Parabéns, mulheres. Vocês merecem!

- Publicidade -

ENVIE UM COMENTÁRIO

IMPORTANTE: O Click Riomafra não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários publicados pelos seus usuários. Todos os comentários que estão de acordo com a política de privacidade do site são publicados após uma moderação.