O Rock e sua participa√ß√£o nos movimentos sociais – (M√ļsicas feitas e usadas com cunho social)

Publicado por Cris Fagundes - 08/05/2012 - 18h23

Como j√°¬†hav√≠amos¬†falado no primeiro texto desse blog, sobre a origem do Rock, sabemos que mais que o surgimento de um estilo musical, o Rock, serviu como um “grito”, dos exclu√≠dos da sociedade americana,¬†o¬†rhythm & blues, ¬†a vertente negra do rock, que representa, os negros exclu√≠dos, da sociedade americana, onde eram marginalizados e¬†descriminalizados¬†por uma¬†sociedade que na d√©cada de 1950, era dominada por brancos,anglo-sax√Ķes e protestantes, e¬†o chamado¬†country & western,¬†a vertente branca do rock, que representa o sofrimento, o lamento, o¬†descontentamento dos pequenos camponeses, portanto como relembrado, aqui vemos a¬†import√Ęncia¬†social que se d√° ao surgimento do Rock.

Mas n√£o para por a√≠, com o passar do anos, d√©cadas, surgiram novas vertentes dentro do Rock, novos estilos de fus√£o, mas muitas vezes, mantendo esse cunho social, em suas letras, sua postura, ideologias, onde muitas vezes, a pr√≥pria sociedade, “adotou”, certas m√ļsicas, para protestar, ¬†expressar seus pensamentos, descontentamento, diante do¬†panorama¬†social em que viviam, e esse √© o nosso assunto de hoje, irei postar algumas m√ļsicas, que representam ao longo dos anos, esse paralelo entre o rock e a sociedade, seus movimentos, obvio n√£o postarei todas, pois esse que vos fala ficaria ate amanh√£ aqui escrevendo e postando videos, mas segue uma sele√ß√£o, com algumas m√ļsicas, com sua hist√≥ria, origem, e ideal,¬†objetivo, que s√£o muito interessantes.

  • Run To The Hills – Iron Maiden = A can√ß√£o fala sobre a expuls√£o for√ßada dos nativos americanos para o Oeste dos Estados Unidos presumivelmente durante a presid√™ncia de Andrew Jackson, quando as expuls√Ķes foram conduzidas pelo Ex√©rcito dos Estados Unidos. Tamb√©m √© poss√≠vel que a can√ß√£o seja sobre as Guerras Sioux, quando a terra de Lakota, nas Dakotas, foram tomadas √† for√ßa pelo Ex√©rcito dos EUA. A can√ß√£o foi escrita por Steve Harris, baixista e fundador da banda.

  • Sunday Bloody Sunday – U2 = a letra descreve o horror sentido por um observador “The Troubles” na Irlanda do Norte, com destaque no incidente do Domingo Sangrento em Derry, onde as tropas brit√Ęnicas atiraram e mataram manifestantes de direitos civis.

  • Blue Sky Mine – Midnight Oil = A can√ß√£o refere-se √† mina de amianto Wittenoom na Austr√°lia Ocidental, onde o amianto azul foi extra√≠do entre 1947 e 1966. A cidade outrora pr√≥spera √© agora uma cidade fantasma. As lojas est√£o fechadas com t√°buas, a 2 escolas est√£o fechadas, o cinema local est√° abandonado. Em sua ignor√Ęncia, os colonos originais utilizavam amianto em jardins, p√°tios de escolas e estradas. Wittenoom √© sem d√ļvida o maior desastre industrial da Austr√°lia, e estima-se que 25% dos 20.000 homens que extra√≠am o amianto n√£o morrer√£o de doen√ßas relacionadas.

  • Holiday in Cambodia – Dead Kennedys =¬†um hino antibelicista repleto de ironia e humor negro, refere-se √† Guerra Civil do Camboja em 1973.

  • War Pigs – Black Sabbath = ¬†Uma m√ļsica com clara critica as guerras, aos pol√≠ticos, pessoas com poder na sociedade, que come√ßam guerras, e mandam os inocentes ao fronte de batalha – (War Pigs foi lan√ßada durante o calor da Guerra do Vietn√£).

http://www.youtube.com/watch?v=xtqy4DTHGqg

  • Another Brick In The Wall – Pink Floyd = Foi banida das r√°dios e televis√Ķes na √Āfrica do Sul. A m√ļsica vinha sendo usada por estudantes negros em protestos contra o sistema de educa√ß√£o.

  • Z√© Ningu√©m – Biquini Cavad√£o¬†–¬†A m√ļsica “Z√© Ningu√©m” entrou nas r√°dios em momento delicado do pa√≠s. Seu refr√£o acabou sendo usado nas ruas pelos estudantes que pediam a sa√≠da do presidente Collor.¬†O eu-l√≠rico da can√ß√£o encarna um t√≠pico brasileiro da classe baixa que encontra-se desacreditado com o futuro, n√£o apenas com o seu pr√≥prio futuro, mas com o futuro da na√ß√£o como um todo. Descredito com a atua√ß√£o do Congresso Nacional e com a morosidade e conformismo da justi√ßa brasileira e at√© mesmo sua cren√ßa em Deus encontra-se abalada diante do contexto social em que vive.

  • Wind Of Change – Scorpions –¬†A balada foi escrita por Klaus Meine, inspirando-se nos “ventos de mudan√ßa” que atingiam a Europa, com a Guerra Fria terminando, o fim da Uni√£o Sovi√©tica e a queda do Muro de Berlim.¬†A letra celebra as mudan√ßas pol√≠ticas ocorridas no Leste Europeu naquela √©poca – como as discuss√Ķes pol√≠ticas que levaram a queda do Muro de Berlim, e o retorno da democracia nos pa√≠ses que faziam parte do bloco socialista sob a lideran√ßa da Uni√£o das Rep√ļblicas Socialistas Sovi√©ticas, e o iminente abrandamento e colapso final da Guerra Fria. (Moskva √© o nome do rio que atravessa Moscou, e o Gorky Park¬†√© um parque da cidade – √© um parque monumental em homenagem aos escritor M√°ximo Gorky). A banda Scorpions inspirou-se para escrever esta can√ß√£o em uma visita que fez a Moscou em 1989 e assim incluiram refer√™ncia a paisagens naturais e urbanisticas da cidade na letra da can√ß√£o).

  • God Save the Queen –¬†Sex Pistols =¬†¬†¬†Johnny Rotten explicou a letra da can√ß√£o da seguinte maneira: “Voc√™ n√£o escreve uma can√ß√£o como ‘God Save The Queen’ porque voc√™ odeia a ra√ßa inglesa. Voc√™ escreve uma can√ß√£o como essa porque voc√™ os ama, e voc√™ est√° cansado de v√™-los sendo maltratados.” Suas inten√ß√Ķes eram, aparentemente, evocar a simpatia da classe trabalhadora inglesa e gerar um sentimento geral de ressentimento contra a monarquia.

  • √Č Assim Que Me Querem – Ir√°! =¬†Tal m√ļsica traz uma vis√£o cr√≠tica sobre as drogas e relata como s√£o intencionalmente utilizadas para anestesiar as massas, sobretudo a juventude, e incapacita-las de lutar contra o sistema que as oprime e brutaliza.

  • Perfei√ß√£o – Legi√£o Urbana – Bem est√° can√ß√£o da Legi√£o, em precisaria comentar nada, pois basta voc√™ ouvi-l√°, ou ler sua letra, para ver que se trata de um dura critica a sociedade e todos os seus problemas e hipocrisias.
    Quando Renato Russo escreveu a letra da m√ļsica Perfei√ß√£o, deixou de lado a hipocrisia e cantou, sem papas na l√≠ngua, todos os problemas que ele estava enxergando a sua volta (problemas estes que, infelizmente, mais de dez anos depois, ainda parecem ser bem atuais). A ironia do t√≠tulo da m√ļsica √© uma certa forma de criticar a n√≥s mesmos por estarmos cientes de todas aquelas coisas que estavam acontecendo (e permanecem) e, ainda assim, n√£o tomarmos uma atitude concreta.

  • Ouro de Tolo – Raul Seixas =¬†A can√ß√£o era uma bofetada no conformismo nacional diante das vantagens ilus√≥rias oferecidas pela ditadura.¬†‚ÄúOuro de tolo‚ÄĚ √© o nome que se dava na Idade M√©dia √†s promessas de falsos alquimistas. Transpondo a id√©ia para a d√©cada de 1970, Raul Seixas reduz a nada as aspira√ß√Ķes da classe m√©dia que apoiou o milagre econ√īmico da ditadura: a euforia regada pela estabilidade social do cidad√£o respeit√°vel e por uma vis√£o religiosa conformista era simplesmente um ‚Äúouro de tolo‚ÄĚ.

Bem galera √© isso, sei que teria in√ļmeras can√ß√Ķes que poderia postar aqui, mas deixo essas, para mostrar como o Rock e todas as suas vertentes, est√£o em constante “alinhamento” com a sociedade, seus problemas, mudan√ßas, desde o seu surgimento.
Espero que gostem, tenham todos uma ótima noite, e até a próxima.
- Publicidade -

ENVIE UM COMENTÁRIO

IMPORTANTE: O Click Riomafra não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários publicados pelos seus usuários. Todos os comentários que estão de acordo com a política de privacidade do site são publicados após uma moderação.