Tia Apolônia: conheça a história da primeira professora de educação especial da região

Por Assessoria - 16/07/2021

A garra da primeira professora de educação especial da região

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Apolônia Weil Purcaru nasceu em 1° de outubro de 1928, filha de Henrique Weil  e Rosa Weil. Casou-se com Martin Purcaru e da união gerou Maristela Purcaru. Tia Apolônia foi a primeira professora de educação especial da região, realizando atendimento diferenciado para crianças com deficiência auditiva.

Apolônia iniciou o Curso Normal Regional no estabelecimento de ensino “Padre Manuel da Nóbrega”, em 1956 e o concluiu em 1961. Em 1963 começou o Curso Normal na escola “Margarida Kirchner” e em 1965 recebeu o diploma de professora normalista.

Iniciou no cargo de professora primária em 11 de março de 1964 no estabelecimento Dr. Ovande do Amaral.

Participou de cursos de capacitação para educação de crianças especiais, além de capacitações em matemática, educação em deficiência visual, psicopedagogia do excepcional  entre muitos outras.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Na época muitos pais com filhos portadores de deficiências não andavam com os mesmos em locais públicos e evitavam falar sobre, devido ser dito vergonhoso caminhar com seus filhos “retardados”. Porém para ela isso não era um problema, Apolônia tinha uma facilidade, alegria e didática incrível ao trabalhar com alunos excepcionais, pelos quais era apaixonada.

Seus primeiros atendimentos foram em uma sala cedida no colégio Dr. Ovande do Amaral. Dos desejos e esforços da professora e apoio da Prefeitura Municipal de Rio Negro, nasceu do decreto 02 de 13/02/1976 a escola Tia Apolônia, com seu nome dado em homenagem a sua garra e coragem. Devido ao aumento no número de alunos a escola mudou-se duas vezes de local, onde a segunda e última mudança foi em 06/12/1982 para a sede própria conquistada na rua Nicolau Valério, Vila Paraíso em Rio Negro, onde funciona até hoje.

Sra. Apolônia durante toda a sua vida procurou ajudar, buscando sempre o melhor para seus alunos. Seus esforços fizeram a mesma ser convidada para o I Seminário Brasileiro de Deficientes da Audição, para o II Congresso de Terapia da Palavra e outros. Regeu palestras em muitos locais, inclusive para alunos da FUNORTE.

Apolônia faleceu no dia 18 de junho de 2000 em Londrina, e deixou conosco seu grande legado de amor, carinho e dedicação pela profissão e pelo próximo.

Fonte: Arquivo Escola Municipal Tia Apolônia

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -
- Publicidade -
COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

IMPORTANTE: O Click Riomafra não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários publicados pelos seus usuários. Todos os comentários que estão de acordo com a política de privacidade do site são publicados após uma moderação.
  1. Essa mulher, linda, espírito privilegiado, visão de muito longe…merece todas as homenagens, pedindo a Deus que a ilumine e abençoe onde estiver. Enfrentou tudo! Qdo tudo era difícil. Qdo tudo era vergonha, um precipício de incompreensão. Fez a diferença. Toda justiça divina carrega em seu coração. Gratidão sempre, por acreditar, por viver, por dedicar tudo que dedicou àqueles que hoje são reconhecidos como especiais , respeitados, com capacidades inimagináveis, com muito para ensinar. Que o agradecimento, grande pioneira, chegue até você em forma de oração onde estiver. Nosso carinho pra você..
    .

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.