Poeira é sinônimo de alergia. Como se livrar disso?

Por GB Edições - 01/11/2015

Poeira é sinônimo de alergia. Como se livrar disso

Maníacos do espanador e do aspirador, virtuosos da esponja e da vassoura, lutadores no combate desesperado contra a poeira parecem derrotados. Afinal, quem pode lutar contra estas milhares de partículas microscópicas que acampam em todos os cantos da casa.

Tais partículas são florestas em miniatura acolhidas por tapetes, sofás, colchões, almofadas, cobertores e travesseiros. É um mundo invisível que contém também os agentes secretos da alergia.

A terra, as rochas varridas sem cessar pelo vento e os respingos salgados dos oceanos são os principais fornecedores de poeira do nosso planeta. As erupções vulcânicas e outros incêndios de florestas representam cerca de sete por cento das poeiras naturais encontradas no ar.

Um pouco mais alto na galáxia, quase dez mil toneladas de poeiras siderais, provenientes de cometas e de meteoritos que se desintegram ao entrar em contato com a atmosfera vêm aumentar o peso da massa do nosso planeta.

O ar que respiramos jamais é puro. Múltiplos resíduos microscópicos, alguns até poluentes, planam incansavelmente na nossa atmosfera. Respiramos uma infinidade de polens, fumaça, agentes tóxicos, agentes infecciosos bacterianos etc. A nossa sorte é que o nosso aparelho respiratório dispõe de uma estrutura protetora muito eficiente, senão ninguém sobreviveria por muito tempo nesta “selva” criada, em sua maior parte, pelo próprio Homem.

As fossas nasais são cobertas por uma larga superfície de mucosa, ricamente vascularizada e dotada de um sistema secretor ativo, capaz de responder com uma inflamação aguda às agressões exteriores.

Entre as pessoas alérgicas, a sensibilização a essas substâncias se manifesta por espirros e uma coriza abundante. Quando o intruso está no ambiente, a mucosa reage como um alarme.

Os cílios brônquios desempenham assim um papel essencial na depuração das partículas inaladas, rejeitando estes locatários indesejáveis através da traqueia.

A alergia respiratória é frequentemente a origem das renites, das traqueítes ou da asma aguda. Mas toma, às vezes, um caráter crônico, podendo incomodar todos os dias. Polens de árvores ou de gramíneas, poluentes atmosféricos, picadas de abelha ou de marimbondos, nosso meio ambiente abriga vários inimigos, o que complica ainda mais a vida dos alérgicos.

Mas, talvez os maiores inimigos estejam dentro de nossos próprios lares.

Foi a partir da segunda metade do Século XX que estudiosos puderam observar a poeira através dos microscópios e descobrir o poderoso mundo invisível inimigo dos alérgicos. Ácaros, mofos, pelos de animais, bactérias, escamas e carcaças de insetos mortos são alguns dos componentes deste mundo. Os dejetos dos ácaros são poderosas substâncias causadoras de alergias. Os asmáticos são os que mais sofrem.

Qual é a saída, já que não dá para parar de respirar? Deixar entrar bastante ar na casa; passar regularmente o aspirador de pó; lavar os lençóis toda a semana; usar capas de algodão para proteger os colchões e travesseiros e lavá-las regularmente.

Protegidos sob as cobertas, apreciamos um repouso merecido, só que partilhamos este leite limpo de macio com minúsculos animaizinhos da família das aranhas: os ácaros.

Eles se alimentam dos restos de pele humana que eliminamos normalmente no dia-a-dia. Invisíveis a olho nu, vivem tranquilamente em nossas camas e sob os nossos travesseiros. Em 1grama de poeira, cerca de 2000 a 15000 ácaros podem viver sua curta vida de três meses, enquanto isso as fêmeas põem duas vezes 80 ovos. Uma cama de casal pode, então, acolher quase dois milhões de indivíduos. Seus melhores amigos são a umidade e os bolores. Quanto mais seco o ambiente, pior para eles.

A poeira da casa, assim como os animais domésticos e as plantas constituem meios nutritivos indispensáveis para o cultivo desta floresta especial. Quando penetram nas vias aéreas, podem provocar asma, pneumonias Alérgicas e outras doenças pulmonares. É preciso ficar atento.

COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.