Boarischer Wind: “O Grupo de Dança que há 21 anos conta a nossa história”

Por Fábio Reimão de Mello - 22/11/2012

Da sede antiga da Sociedade Agricultura União (Fuchs) aos palcos da Oktoberfest de Blumenau, passando pelo Sambódromo do Rio de Janeiro em pleno carnaval carioca, o Grupo Folclórico Alemão-Bucovino Boarischer Wind comemora nesta semana, 21 anos de sua primeira apresentação, uma trajetória repleta de música, dança e muita tradição.

Mais do que a comemoração da estréia de um grupo de danças, os 21 anos do Boarischer Wind marcam o nascimento em nossas cidades de um grupo, organizado e dedicado à preservação da história e das tradições da maior etnia a colonizar Riomafra (1887 e 1888), fator que possibilitou o resgate da cultura alemã-bucovina aos olhos de toda a sociedade, uma cultura que por muitos anos esteve restrita ao seio das famílias e que, a partir de então, passou a ser cultivada de forma pública e coletiva.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -
Breithaupt Mafra

Nesses 21 anos, como representante de uma cultura única no país, o Boarischer Wind (Vento Bávaro, na tradução do dialeto original do Estado alemão da Baviera) além de já ter realizado diversas apresentações de dança em Riomafra e região, reúne também considerável currículo em participação em eventos de cidades que são referências culturais na região Sul do Brasil, tendo subido aos palcos de Curitiba, Ponta Grossa, Florianópolis, Joinville, Blumenau, Gramado, Canela, Nova Petrópolis, mostrando sua arte em festas conhecidas nacionalmente como a Oktoberfest de Blumenau, assim como em encontros internacionais de grupos de danças folclóricas alemãs, como a Bundesvolkstanztreffen.

Apesar das danças folclóricas alemãs se constituirem em sua principal atividade, o Grupo nunca se limitou a elas, realizando ou apoiando diversas festividades e atividades locais de cunho histórico-sócio-cultural, como é o caso de festas típicas como a Bucovinafest e o Natal Bucovino, almoços, jantares, encontros de grupos de dança folclóricas, apresentações de corais e exposições de antiguidades, trabalho planejado e executado em equipe, composta por todos aqueles que passaram ou permanecem no Boarischer Wind, algo feito de forma totalmente voluntária, sem qualquer tipo de remuneração, pelo simples fato do amor às tradições e, é claro, pelo clima agradável e alegre que caracteriza a entidade.

São 21 anos em que o Boarischer Wind contribui para a preservação da cultura e das tradições alemãs-bucovinas e, é preservando que também faz história, pois não se limita ao culto das tradições de forma fechada, direcionada a um pequeno grupo de pessoas ou mesmo àqueles com ascendência étnica bucovina e sim, empenha-se incessantemente em divulgá-las, resgatando a história ou reforçando costumes quando atuando em nossa comunidade e, a aqueles que assistem a suas apresentações nas demais cidades, tornando conhecida a singular cultura bucovina, que não só faz parte da nossa história, como se constitui em patrimônio nosso, que consigo leva o nome de Rio Negro e Mafra, pois pertence a todos nós.

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.