Educação de Quitandinha em tempos de pandemia funciona e Estado adota modelo

Por Gazeta de Quitandinha e Campo do Tenente - 16/09/2020

Os números do balanço avaliativo educacional, realizado por meio de pesquisa direcionada da própria Secretaria de Educação de Quitandinha, apontam o sucesso do atual protocolo pedagógico adotado por conta do novo contexto trazido pelo Coronavirus. Protocolo este, aliás, que completou cinco meses de aplicação efetiva para todos os 1.856 alunos da rede básica de ensino nesta semana.

Para a Sônia Maria Rauth, Secretária de Educação do Município, os números positivos são reflexos diretos da boa interação entre a família e a escola, além de trazerem consigo inúmeras lições sobre a condução da educação à distância em todos os níveis. “Ficou mais do que claro para todos nós que a participação é um elemento chave para o sucesso de qualquer ferramenta. Não temos recursos para investir em aplicativos ou em meios mais modernos de aprendizagem. O que fizemos foi usar a ferramenta mais comum que tínhamos nas mãos – Whatsapp – para que em cima dela pudéssemos centralizar todos nossos esforços de participação e contra partida, e vem dando muito certo”, avalia.

MODELO E RESULTADOS

A pesquisa foi realizada no formato de um questionário online, em que os pais e os alunos deveriam avaliar a própria participação e a participação dos professores durante as atividades, quais delas mais motivam os alunos, além de indagar sobre a rotina e horários de estudos, quais foram as dificuldades encontradas e quais ações poderiam melhorar a aprendizagem, por parte dos alunos. Participaram do levantamento 674 alunos do ensino infantil e mais 1.182 alunos do ensino fundamental.

Entre os alunos do Educação Infantil, com alunos de 0 a 5 anos compreendidos entre berçário e pré-escola, mais da metade dos pais enxergam uma boa participação das professoras e afirmaram gostar do momento de interação no momento das aulas. Indagados sobre quais atividades motivam mais os pequenos, uma surpresa: músicas dominaram as preferências das crianças, seguido por perto pelos desenhos e atividades de confecção de brinquedos.

Entre os mais crescidos do Ensino Fundamental, com alunos de 6 a 10 anos compreendidos entre a 1ª e a 5ª série, a pesquisa focou mais na questão comportamental dos pequenos frente ao desafio de aprender sem sala de aula e sem professor presente.

41% dos alunos criaram uma nova rotina de estudos por conta do novo contexto. 64% dos alunos encontraram facilidade na aprendizagem fazendo leituras, realizando as atividades passadas pelos professores e fazendo uso dos vídeos gravados e indicados pelos mestres.

75% dos alunos conseguiram encontrar segurança nas respostas de suas dúvidas em ambos os lados da aprendizagem, ao afirmarem que tiram dúvidas tanto com seus pais quanto com seus professores e pedagogos. “Esse número nos deixa feliz, pois significa que há uma continuidade no ensino e na busca por mais conhecimento depois do término das aulas. As famílias estão aprendendo e sanando suas dúvidas em conjunto”, afirma Sônia.

A secretária afirma que há muito que melhorar ainda, e prevê uma nova pesquisa para as próximas semanas, para refinar principalmente os dados sobre dificuldades e métodos que podem ser aplicados, visando a constante melhora do aprendizado dos alunos.

MODELO PARA ESTADO

O protocolo de atendimento gradativo e escalonado, criado pela Educação de Quitandinha no começo de Agosto, serviu como base para a nova redação da Resolução nº 891 da Secretaria Estadual de Educação e do Esporte (SEED). Tal qual está estabelecido em Quitandinha, o estado aplicará normas, escalas e direcionamento de atendimentos presenciais focados nos alunos que estão com dificuldade de aprendizagem ou sem acesso às ferramentas de comunicação.

De acordo com Secretária Sônia, a proposta de Quitandinha foi bem vista pelos seus pares nas reuniões da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME) e pela SEED. “Apresentamos nossa realidade e o que pensamos ser o ideal neste momento, e nos alegra muito saber que o que adotamos aqui será aplicado para todos os outros 399 municípios, que estão passando pelas mesmas dificuldades que nós. É uma injeção de esperança”, afirma.

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.