Os consultórios odontológicos já não são mais os mesmos

Por GB Edições - 30/01/2014

Os consultórios odontológicos já não são mais os mesmosA ida a um consultório dentário ainda desperta uma série de sensações desagradáveis em muitas pessoas. Porém em alguns consultórios essa expectativa negativa que o dentista sempre representou – imagem disseminada também pelos filmes, desenhos animados, teatros e livros – é facilmente modificada pelas inovações tecnológicas hoje presentes.

Hoje o consultório do dentista tem pouco em comum com aqueles de dez anos atrás. Da imagem já pré-concebida de um gabinete tradicional, o que hoje permanece é a figura do próprio dentista e de uma cadeira. O resto mudou bastante.

Muita coisa foi modificada através da tecnologia para melhorar e facilitar as etapas de um tratamento, incluindo o bem-estar do paciente. Hoje há solução até para os eternos minutos olhando o teto e imaginando o que o temido Doutor está fazendo. Existem consultórios em que o paciente pode assistir a um filme ou show em DVD, enquanto é tratado.

A Odontologia evoluiu em busca de tratamentos menos invasivos, mais conservadores e menos traumáticos. Junto dessa evolução também observamos maior capacidade de comunicação entre profissional e paciente, o que resulta em maior informação e entendimento por parte dos pacientes aos tratamentos propostos.

Em muitos consultórios já existe um controle computadorizado de estoque, fichas de pacientes, horários e agendamentos, o que torna mais eficaz o atendimento ao paciente. Dentro do consultório, as inovações começam no diagnóstico, com o uso de câmaras intra-orais de alta definição o profissional tem uma visão mais clara e precisa do que o tradicional “espelhinho”. Além de permitir um diagnóstico mais preciso, possibilita o acompanhamento detalhado de etapas intermediárias e finais dos tratamentos realizados.

Há outro ponto muito importante nessa tecnologia: o paciente vê e avalia melhor os trabalhos pelos quais está pagando.

Para os tradicionais tratamentos restauradores, atualmente utiliza-se o Raios X digital, que tem o mesmo princípio da radiografia normal, mas não é preciso ser revelado em substância química. A dose de radiação é muito menor do que a radiografia comum, cerca de 1/10. A visualização é imediata, e oferece menor exposição à radiação e mais segurança ao paciente.

Outro grande medo dos pacientes é a anestesia, que hoje em dia, em alguns consultórios, é realizada com auxílio de um equipamento eletrônico, onde a força e a velocidade da inserção do líquido são controladas pelo computador. Isso causa menor desconforto e oferece menor risco de acidentes. O paciente fica muito menos exposto a erros e à dor da aplicação.

Mas e o motorzinho do dentista? O famoso barulho que amedronta tanta gente também está sendo aos poucos substituído em alguns tratamentos odontológicos. Hoje o ruído produzido pelo conjunto motor-broca é muito menos intenso, apesar de o uso ser o mesmo. Muitos procedimentos, contudo, já podem ser realizados com outras tecnologias como equipamentos de vibração ultrassônica, géis removedores de cárie ou laser.

Os temidos e intermináveis tratamentos endodônticos, ou de canal, como são popularmente chamados, já podem ser realizados com mais conforto, menor sofrimento e em menos tempo. O dentista visualiza e trata o canal usando um potente microscópio, utilizando instrumentos mais eficientes e, a maioria dos tratamentos é realizada em uma única sessão.

O tratamento odontológico ainda não é uma diversão, mas certamente já não é tão difícil de encarar.

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.