Escola Ricardo Nentwig celebra 25 anos de história

Por Everton Lisboa (Click Riomafra) - 15/09/2017

Uma das escolas mais tradicionais de Rio Negro está completando neste mês de setembro 25 anos de atividades. Localizada no bairro Bom Jesus e com um amplo espaço físico, a Escola Municipal Vereador Ricardo Nentwig atende aproximadamente 360 alunos do pré ao 5º ano. Em média 50 alunos se formam na escola todos os anos. A escola conta com mais de 20 professores e 13 profissionais na área administrativa e operacional. Jocélia Nentwig é a atual diretora, Eva Rogaleski a supervisora e Juarez Konopka o secretário.

A escola Ricardo Nentwig é a maior de Rio Negro entre as municipais e tem se destacado constantemente com a nota do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Em 2016 conquistou a nota 7.8, sendo a melhor na cidade.

PROJETOS

Entre os projetos que a escola desenvolve com os alunos, destacam-se a Horta Escolar e as atividades de Dança e Leitura, além de participações em projetos externos importantes, como o PROERD e o Programa Agrinho. Cada sala de aula também desenvolve suas próprias atividades. Com a Horta Escolar, os alunos – contando com a participação dos pais e a dedicação da professora Eva Rogaleski – plantam alface, repolho, couve, cenoura, brócolis, salsinha e cebolinha, que são utilizados na merenda da própria escola. A importante participação voluntária dos pais dos alunos também ocorre quando há algumas reformas necessárias na escola, como pinturas no parquinho infantil.

SESSÃO SOLENE

A escola Ricardo Nentwig sem dúvida é memorável para muitas pessoas que lá estudaram ou trabalharam. Na noite da última quarta-feira (13), ocorreu na quadra de esportes da escola a sessão solene que homenageou pessoas importantes que fizeram ou ainda fazem parte da história desses 25 anos. O evento contou com a presença dos antigos e atuais profissionais, autoridades locais, pais, alunos e ex-alunos, além de amigos da escola.

O evento gerou emoção em muitas pessoas presentes. A Sra. Fátima Mageiro Bara, por exemplo, que foi a primeira diretora da escola, chorou ao chegar ao local e reencontrar antigos companheiros de trabalho. Ela foi uma das pessoas mais aguardadas no evento e foi homenageada com uma placa de Menção Honrosa. Outras três pessoas também foram homenageadas: professora Salete Novak Fuchs, que foi a segunda diretora que a escola teve; Sra. Cacilda Eli Nentwig, esposa do patrono da escola, Sr. Ricardo Nentwig (In Memoriam); e Nelson Preisler, pela valiosa contribuição e empenho para que a escola fosse construída, sendo ele o responsável pelo abaixo-assinado que foi fundamental para que a construção da escola se tornasse realidade.

A Câmara de Vereadores de Rio Negro também homenageou a escola. O atual presidente da casa legislativa, Sr. Alessandro Cristian Von Linsingen, entregou o Voto de Louvor e Congratulações nas mãos das três diretoras que a escola já teve. Na sequencia do evento houve apresentações artísticas desenvolvidas pelos professores e alunos da escola.

O Click Riomafra marcou presença na sessão solene. Clique aqui e confira todas as fotos

Em seu discurso, a atual diretora da escola Ricardo Nentwig, professora Jocélia Nentwig, que é sobrinha do patrono da escola, se emocionou ao falar do dever que tem como diretora. Também destacou a parceria entre as duas escolas que ocupam o mesmo terreno e valorizou os alunos e todos os profissionais que fazem parte da história desses 25 anos celebrados. “A escola Inácio Schelbauer é a continuação da escola Ricardo Nentwig. Nós trabalhamos juntos. Nós trabalhamos em prol dos nossos alunos e também de todos vocês que estão aqui. Todos fazem parte dessa bonita história. Nós amamos o que fazemos. A escola Ricardo Nentwig possui alunos maravilhosos com um potencial enorme. E nós gostamos de trabalhar com valores e sentimentos, sendo um deles a alegria. Os alunos precisam gostar de ir para a escola. Eles precisam querer estar aqui. E os nossos alunos gostam de estar aqui. Eles querem estar aqui”, ressaltou.

Alguns ex-alunos também participaram da sessão solene, como a jovem Maísa Ruthes, que recomenda a escola com orgulho. “A escola Ricardo Nentwig é bastante acolhedora. Eu indico para todo mundo. Foi muito bom ver os professores novamente. Eles continuam com o mesmo carinho de sempre”, comentou.

Para a professora aposentada Lucimar Ruthes Correa, que atualmente trabalha como coordenadora voluntária no coral da Igreja Nossa Senhora Aparecida de Rio Negro, mas que por 22 anos trabalhou na escola Ricardo Nentwig – sendo a primeira professora de muitas pessoas –, é emocionante rever os alunos que estiveram com ela na pré-escola: “É um orgulho ver um ex-aluno bem atualmente, sabendo que a gente plantou uma sementinha lá na pré-escola, que é tão importante, pois é o alicerce de tudo”.

A professora Salete Novak Fuchs, que por vários anos foi diretora da escola, destacou a importância que a função que teve para a sua vida: “Para mim tudo foi um aprendizado e uma boa experiência na vida. Foi gratificante ser diretora da escola Ricardo Nentwig. O dia a dia de uma escola é incrível”.

“TIA DERLI”

Sem dúvida uma das pessoas mais marcantes na vida de quem estudou na escola Ricardo Nentwig é a Sra. Derli Kunze, ou simplesmente “tia Derli”, como era chamada carinhosamente pelos alunos. Atualmente trabalha na Escola Estadual Inácio Schelbauer, que fica no mesmo terreno, mas por anos trabalhou na escola municipal (iniciou logo quando a escola foi criada) e é lembrada por muitos que a adoravam ou então a temiam, pois era a responsável por “botar ordem” na escola durante todo o período escolar, principalmente na hora do recreio. Derli comentou sobre as boas lembranças e a satisfação de rever antigos alunos nos dias atuais. “Tenho muitas lembranças boas da escola. Aqui é a casa da gente. É muito bom reencontrar os alunos que aqui estudaram e ver que eles estão bem na vida. Alguns falam que sentem saudade dos meus gritos”, comentou emocionada.

QUEM FOI RICARDO NENTWIG

Ricardo Nentwig era natural de Rio Negro. Nasceu em 02 de setembro de 1940. Foi funcionário da empresa Irmãos Guerber (atual Viação Santa Clara) por mais de 20 anos. Foi presidente da Codern por mais de 15 anos, demonstrando muita competência e austeridade na sua função, que desempenhou sempre auxiliando os lavradores com serviços de terraplanagem para as diversas construções.

Na área política foi vereador de 1974 a 1977. Em seguida disputou nova eleição, sendo reeleito para o período de 1978 a 1983. Foi candidato a vice-prefeito na oportunidade junto com Oscar Koster em 1984. Candidatou-se novamente a vereador, tendo sido eleito para o período de 1989 a 1992, onde se destacou com sua atuação voltada para o bem estar do povo, apresentando inúmeros requerimento e indicações, mostrando ser um verdadeiro representante de uma grande parcela de eleitores de Rio Negro.

Foi presidente da Igreja Nossa Senhora Aparecida de Rio Negro no período de 1974 a 1976, e vice-presidente de 1987 a 1989. Desempenhou todos esses anos com a sua criatividade no fim das obras da igreja, da escolinha catequética e da torre da igreja. Foi ele, Ricardo Nentwig, quem assinou a carteira de aposentadoria do padre Freiclimaco.

Ricardo Nentwig, com suas mãos hábeis e artesanais, e trabalhando meses fora do expediente, confeccionou a enorme cruz de ferro e aço inoxidável pesando 300 kg da Igreja Nossa Senhora Aparecida de Rio Negro. Foi ele mesmo quem instalou a cruz no topo da torre da igreja, no dia 17 de novembro de 1975, contanto com o importante apoio de um helicóptero conseguido depois de muita luta em Florianópolis, com a grande ajuda do Sr. Alceu Swarowski. Ricardo também construiu os lustres da igreja e o portão da escolinha catequética. Além disso, conseguiu muitas cadeiras de rodas para a paróquia.

Como arquiteto, Ricardo Nentwig planejou obras de infraestrutura para o Lar dos Velhinhos, no bairro Bom Jesus. Também levou a extensão da Rede de Eletrificação Rural para a periferia da cidade, onde também emprestou a sua valorosa mão de obra pessoal.

Como pai foi sempre muito dedicado, muito amoroso e construiu uma família composta por sete filhos, indicando a todos eles o caminho correto a ser seguido, dentro de um clima verdadeiramente cristão, e demonstrando aos seus filhos, sempre muita amizade, compreensão e afeto.

Como amigo, sempre foi leal com todos os que o rodeavam, sincero e fiel, simples e honesto, pronto para os momentos difíceis, presente quando necessário, o que foi comprovado que durante todos esses anos somente soube fazer três coisas: trabalhar, viver para a família e fazer amigos.

Fonte: Dados obtidos pelos familiares; Ata de reunião da Igreja Nossa Senhora Aparecida; Carta do Deputado Estadual Alceu Swarowski (Curitiba, 12 de junho de 1991); Jornal Tribuna da Fronteira (01 de junho de 1991, página 3, volume 1540).

- Publicidade -
COMPARTILHE

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário.
Por favor, informe o seu nome.