Quarta-feira 01 de maio de 2013

Publicado por Trombelhudo - 01/05/2013 - 20h09

Olá meu povão trabalhador, cá estamos nós nesta coluna homenageando o seu dia!

Só que as notícias deste ‘Brasilzão’ não são das melhores para todos nós trabalhadores, que pagamos cada dia mais impostos e nosso dinheiro não dá “nem pro fumo”. Ainda mais agora com a volta da inflação que o Governo Federal insiste em esconder da população.

A coisa até parece mais grave do que se imagina. Especialistas inclusive acreditam que o Brasil caminha para uma possível crise econômica: cai produção, cai arrecadação, cai poupança e a inflação sobe. E a Dilma não para de fazer gastos eleitoreiros e enrolar o povo.

Consoante a isto o Governo Federal além de tentar amordaçar a imprensa, em várias ocasiões, agora tenta amordaçar o judiciário e o Ministério Público com chamada PEC 33, que dá aos parlamentares a prerrogativa de rever decisões do Supremo nos casos de ações de inconstitucionalidade e súmulas vinculantes. Imagine, com isto o legislativo terá poder de rever as decisões do judiciário. Já imaginaram? Bem isto nada mais é do que uma tentativa de reverter as condenações dos mensaleiros ocorridas no final do ano passado e os quais até agora estão “livres, leves e soltos” por aí.

Outra tentativa do Congresso é a de restringir o poder do Ministério Público em atuar em investigações criminais, ou seja, pelo texto proposto na PEC 37, só as polícias Federal e Civil poderão investigar qualquer tipo de crime, inclusive os cometidos por agentes públicos e políticos e os praticados por organizações criminosas. Isto para mim não passa de um golpe da impunidade. Na verdade, estes “caras de pau” querem roubar na boa e ainda por cima não ser incomodados pelo MP, judiciário e imprensa. Gente, até que ponto chegamos? Acorda Brasil!

Vamos em frente…

E aqui por Riomafra coisas do “arco da velha” continuam acontecendo. A cobrança do IPTU 2013 pela Prefeitura de Mafra vai ficar na história. Mesmo sabendo que estava descumprindo três leis aprovadas pela Câmara, mais uma decisão judicial, mesmo assim lançaram os carnês, maior parte da população pagou, na boa fé. Resultado: a Prefeitura encheu as “burras” de dinheiro, fala-se em mais de R$ 3 milhões que teriam sido arrecadadas até o momento com pagamento do imposto. No final de semana, simplesmente a Prefeitura publica um decreto dizendo que será revisto o cálculo do IPTU e aqueles em que pagaram a mais, serão descontados nos impostos nos quatro próximos anos. É mole?

Olha o “gorpe” aí gente! Primeiro o executivo se faz de desinformado, cobra o IPTU de grande parte da população, enche o caixa e depois na forma de decreto se propõe a abater ou devolver nos próximos quatro anos a quem de direito. Que negócio da China né prefeito Eto? O povão que se rale né? Espere três ou quatro anos para reaver o que foi pago a mais, pelo não cumprimento do senhor e sua equipe da lei que o você enquanto vereador ajudou a elaborar e aprovar.

Este governo municipal está se tornando mestre em aplicar “pegadinha do malandro”, primeiro a da alta complexidade agora a do IPTU. Sempre achando que depois de ferrar com o povão dá-se um jeitinho de voltar atrás, fazer uma “meia sola” e consertar o furo. Só que não é bem assim, a maioria está de olho e não vai cair no conto do “malandro” tão fácil assim. Muitos contribuintes já entenderam que em tese, no mínimo pode ter havido “má fé” e irão procurar o ministério público. Além do mais, não se admite também o descumprimento de três leis aprovadas pela Câmara. E nossos vereadores, vão simplesmente se conformar com o “remendo” de um simples decreto, ou vão levar à risca a legislação? O povo com certeza cobrará dos senhores uma atitude mais contundente com relação a isto tudo, pois a simples tentativa de mascarar o descumprimento das leis por um decreto, não passará despercebida pela sociedade mafrense. Tenho dito!

À portas fechadas, de novo? É isso aí, dizem que o prefeito de Mafra mais uma vez ‘convidou’ os vereadores para uma reunião fechada em seu gabinete, para tratativa de diversos assuntos. Fontes apontam que após publicação de matérias aqui na Gazeta e a revolta da população com temas de seu interesse sendo tratados sigilosamente, o presidente do legislativo Vicente Saliba, disse que não irão comparecer em mais esta “roubada”. Será que pelo jeito, agora os nobres edis aprenderam e irão optar em solicitar que o prefeito compareça à Câmara para prestar esclarecimentos? Damos risada?

Por falar em reunião fechada, logo após o término da reunião da Câmara nesta segunda-feira, presidente, vereadores e o chefe da PRF de Mafra se reuniram a portas fechadas, para falar sobre o trevo da Dirmave. Como todo segredinho acaba sendo descoberto já sabemos que novidades devem ser anunciadas pelo chefe da Polícia Rodoviária e, de uma coisa já se tem certeza, enquanto continuarem as obras nas duas pontes próximas ao trevo, o acesso Jardim América/centro e vice-versa permanecerá fechado. Após o término das obras ele será reaberto para estudos. Que estudos inspetor? Este trevo já está sendo estudado há mais de 20 anos e sabe-se que o próprio trevo é irregular!

E quem fala o que não deve ouve o que não quer. O inspetor da PRF enviou ofício à Câmara falando de seu descontentamento com declarações de um vereador na Câmara e na imprensa falada e escrita. Na ocasião o edil chegou a dizer que o chefe da PRF não cumpria com a Constituição no que tange ao direito de ir e vir, se esquecendo que os moradores de ambos os lados da BR têm sim como ir e voltar aquele bairro. É vereador, reunião a portas fechadas com o prefeito também combina com boca fechada na hora certa, né?

O assunto que está dando o que falar foi a manifestação pela abertura do trevo, liderada pelos vereadores no último sábado. Houve de tudo por lá, até o prefeito Eto que a princípio era contra, agora depois da reunião secreta e várias “pisadas na bola” como perda da alta complexidade para Canoinhas, cobrança de IPTU irregular, resolveu “comer na mão” dos vereadores. Por que será?

Temos que lembrar que a manifestação do último sábado partiu da própria Câmara de Vereadores, que em nenhum momento pediu oficialmente a reabertura do mesmo naquele dia e inclusive um trator reabriu o mesmo forçosamente, sem autorização dos órgãos competentes. Comenta-se até que o motorista do trator utilizado para tal ao final do seu ‘trabalho’, ao empreender fuga, quase atropelou um policial rodoviário. O caso agora vai parar no Ministério Público e tem gente que já deve estar ‘com as barbas de molho’.

E o vereador que faz política distribuindo seu salário a entidades mafrenses? Por que será que ao invés de privilegiar entidades que podem receber subvenções da Prefeitura, não opta por ajudar famílias necessitadas como a mãe que perdeu o benefício dos medicamentos do SUS por ‘decisão’ do secretário de Saúde, a mãe que ficou sem casa e sem nada, apenas com três filhos após incêndio na residência bem na véspera da Páscoa e tantos outros casos inclusive já publicados na Gazeta? Esse tipo de doação não renderia votos? Espero que não seja esse o pensamento do vereador.

Em tempo! A população se mostra cada vez mais indignada com o aumento do número de vereadores de 10 para 13, sem ao menos consultar a sociedade. Afinal de contas somos nós os eleitores que votamos, portanto somos nós os eleitores que também deveríamos decidir ou pelo menos ser consultados se nas próximas eleições queremos 10 ou mais vereadores na Câmara. Atitude imperdoável senhores vereadores!

Se aproveitaram de um momento onde a sociedade estava desprovida de ações quanto uma decisão como esta. No calor de vários debates e situações delicadas por que passa o município, os senhores dão um duro golpe na democracia, pegando todos de surpresa. Aliás isto ainda teria mais três anos para debater e decidir. Por que o fizeram agora? Os senhores mesmos não vivem dando discursos que as coisas dever ser feitas às claras?

Pessoal, por hoje ficamos por aqui, até a próxima quarta-feira. Um forte amplexo a todos os trabalhadores de Riomafra pelo seu dia!

- Publicidade -

ENVIE UM COMENTÁRIO

IMPORTANTE: O Click Riomafra não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários publicados pelos seus usuários. Todos os comentários que estão de acordo com a política de privacidade do site são publicados após uma moderação.